Porque você merece saber tudo sobre Pele

Subscrever newsletter

As nossas Rugas contam a nossa história

Participações Fechadas
Regulamento
Conheça a gama Revitalift

Passatempo Revitalift

Conte-nos
a sua História

Inspire-se nas histórias da Ana Lemos do blog Cacomãe, da Catarina Beato do blog Dias De Uma Princesa e da Cátia Dias do blog StyleItUp e conte-nos a história da(s) sua(s) ruga(s).

As 3 melhores histórias recebem uma sessão fotográfica profissional (com álbum incluído) da LucenaWorks, e um cabaz de produtos Revitalift.

Vencedoras

  • Rugas de Saudade

    Rugas de Saudade

    Margarida Sá Borges Paim, 50 anos
  • As minhas rugas começaram quando nasci

    As minhas rugas começaram quando nasci

    sandra cristina alves Jorge, 40 anos
  • As minhas rugas são as tuas cicatrizes, meu amor!

    As minhas rugas são as tuas cicatrizes, meu amor!

    Joana Campos, 36 anos

Mural de Histórias

  • Rugas, a prova de quem vive intensamente!

    Rugas, a prova de quem vive intensamente!

    Estela Marina Martins Pires Lourenço, 40 anos

    Oh tempo volta para trás, bem esse (não) poderia ser o meu mote de vida, sim, ruguinhas instaladas tenho-as como sinal de tantas experiências vividas, sim, já ri muito, já chorei como se não houvesse amanhã, já apanhei muito sol, já me deitei com maquilhagem, já fiz tudo aquilo que devia ter feito nesta etapa da vida, e agora, agora tenho revitalift e por isso entrego-lhe a minha pele com total confiança sabendo que melhor aliado para o seu cuidado não poderia ter!

  • Rugas de quem expressão quem as não tem ?

    Ana Sofia Rodrigues Pinheiro, 24 anos

    Começam a aparecer lentamente e quando te dás conta já contas com algumas... As rugas... Não é que seja mau, há aquelas de quem franze a testa quando se irrita ou está confuso, à as da volta dos lábios que demonstram sorrisos imensos, e aquelas de volta dos olhos que com algumas lágrimas derramadas lá insistem em aparecer... Mas rugas não são más, são sinal de que a vida passa, e que sempre nos fomos exprimindo e elas são a prova viva, de que viveste... Com meros sorrisos, meras confusões e mesmo com lágrimas elas exprimem se por ti . Ahh como era bom não as ter dizem algumas pessoas... Eu cá, digo que é ótimo. E que tenha sempre muitas em volta dos lábios... Sinal de que muito sorri ! Cada traço no rosto torna te quem és, até as rugas mostram evidentemente a vida que foste tendo. E olho para mim com estas pequenas mas já tão bem marcadas rugas e penso ' Ahh, como sorri, mais do que lacrimejei e menos que me confundi' .
    Rugas... A mais simples forma de identificar expressões !

  • Passatempo Revitalift

    Passatempo Revitalift

    Sofia Francisco, 47 anos

    Acabadinha de chegar a casa, no último dia em que posso concorrer...telemóvel na mão e dizer o que é verdadeiro. À primeira,porque há o jantar para fazer!
    Sou uma mulher com 46 anos e meio, quatro gravidezes, dois filhos e uma cadela, autora do blogue Gira aos Quarenta, feliz habitante de uma aldeia do concelho de Leiria, possuidora de uma pele com rugas e manchas. Uma mulher que gosta de cuidar de si (por dentro e por fora) e que sabe que todas as mulheres merecem o que Revitalift lhes oferece: uma pele mais bonita, cuidada e com menos rugas. Sou também uma mulher que acredita que todas podemos ser mais bonitas se formos pessoas melhores e se tivermos a ajuda que a LÓreal sabe que nós, efetivamente, merecemos!
    Um vídeo verdadeiro, para uma marca verdadeira, da autoria de uma mulher de verdade.

  • Rugas com amor

    Juliana Nogueira

    Desde o nascimento dos meus filhos que a minha pele mudou imenso, no entanto valeu a pena pois são como lhe chamo 'rugas de amor' :)
    Apesar de tudo gostava de conseguir reduzir as rugas que tenho principalmente na zona dos olhos.

  • A doçura dos 20 e dos 40

    A doçura dos 20 e dos 40

    Rosário Barroso, 57 anos

    Em quase tudo o que fiz
    Um passo de cada vez,
    Mas se quiser ser feliz
    Com a filha cada um vale por três!
    Fãs da L'Oreal por sabedoria
    Na luta contra a idade,
    Tristeza ou alegria ...
    A ruga apareceu um dia
    E virou realidade!

  • As rugas dos meus 25 anos

    Sofia Ribeiro, 25 anos

    As minhas rugas são a minha história e marcas da minha vida. Elas contam o quanto me ri com os meus amigos na universidade, o quanto chorei por ter terminado com aquele que achava que viveria uma história de amor, são marcas de choro quando perdi o meu gatinho e as expressões de enorme felicidade e orgulho quando me licenciei. As minhas rugas devem-se também ao facto de passar a vida rir-me de mim própria, dos filmes de cinema que eu própria oriento na minha cabeça, de tudo aquilo que a vida me deu, me dá e me possa vir a dar. E tenho orgulho delas mas não as quero muito marcadas - hahahahaha.

  • São muitas e não as partilho com ninguém!

    São muitas e não as partilho com ninguém!

    Isabel Gomes, 47 anos

    As minhas rugas, são reflexo de dois factores muito comuns: excesso de trabalho e excesso de sol. Desde muito cedo (para falar a verdade desde os meus 12 anos), que comecei a trabalhar no campo e, as horas expostas ao sol foram muitas. Na altura, nós não ligamos muito, pois somos novas e o tema 'rugas' nem nos passa pela cabeça. Alguns anos depois, é no nosso rosto que se vê o reflexo desse mesmo erro mas, infelizmente, já é tarde para corrigir. Resta-me agora Revitalif para não deixar agravar ainda mais a situação.

  • Rugas de Saudade

    Rugas de Saudade

    Margarida Sá Borges Paim, 50 anos

    Nunca fui uma pessoa de ter mil e um cuidados com a pele, nem nunca tive grande preocupação com as rugas que com o passar dos anos teimavam em começar a aparecer. Até que no ano passado, de repente e sem que nada o fizesse prever, comecei a olhar-me no espelho de uma outra forma, a olhar para elas com outro cuidado e com outra atenção.

    Dizem que as rugas contam a história da nossa vida, cada sorriso, cada choro, cada alegria e cada tristeza. Pois se eu tivesse que definir numa só palavra de onde vem as rugas que teimam em aparecer na minha pele, eu diria sem pestanejar: Saudade. Uma saudade enorme, imensa, que sempre tive da minha querida Avó materna, brasileira, que viveu sempre do outro lado do Atlântico e a quem eu via duas ou três vezes por ano (nos anos bons) e apenas uma vez por ano (nos anos em que não conseguia ir tantas vezes quanto gostaria).

    Sou filha de pai português e de mãe brasileira, durante toda a minha infância passei os três meses de Verão no Rio de Janeiro em casa da minha querida Avó Dulce, depois por força das circunstâncias, passei a visitá-la durante menos tempo mas todos os anos, não falhei um. Durante a infância viajava na maioria das vezes sozinha, como menor desacompanhada. Ela referia com muita graça que não sabe como é que eu nunca me recusei a voltar. Imagine-se o que teria sido :-) . Tive a sorte de ter podido acompanha-la até ao fim, de a ter visto brincar com os meus filhos e a ter tido comigo durante quase 40 anos. E agradeço muito ter chegado a tempo de estar de mão dada com ela nos seus últimos momentos. Sou muito grata por tudo isto.

    Cada uma das minhas rugas dedico-a à minha querida Avó Dulce, uma por cada sorriso, por cada cumplicidade, por cada choro contido nos dias em que regressava a casa, por cada choro não contido no aeroporto, quando já sozinha entrava no avião. Foi definitivamente a pessoa que mais amei e que mais me amou na vida. E pronto: acaba de chegar uma lágrima e com ela mais uma ruga… :-)

  • 53 anos de vida boa!

    53 anos de vida boa!

    Maria Teresa Mendes Correia, 54 anos

    Acho que o meu tempo voou e sei que não há como para-lo, fazer rewind na vida, congelar momentos... tenho 53 anos, quase 54, 4 filhos, 3 netos e uma vida boa!
    Comecei muito cedo a viver como adulta, a ter responsabilidades, a construir as minhas rugas uma a uma... não posso dizer que me arrependa pois sei que foram esses tempos precoces que permitiram que hoje o meu sorriso seja tão puro, tão sincero., tão feliz!
    Dificuldades? Claro que tive, faz parte da vida! Mas acima de tudo criiei 4 seres maravilhosos que são e serão o meu orgulho!
    Sei que o meu tempo voou mas estou bem com isso e só quero ser feliz!

  • RUGAS - O ESPELHO DA PERSONALIDADE

    RUGAS - O ESPELHO DA PERSONALIDADE

    Carla de Melo Gonçalves, 48 anos

    Tal como se costuma dizer que 'os olhos são o espelho da alma'; eu digo que as rugas são o espelho da personalidade...
    Cada sorriso, cada lágrima, cada tristeza ou cada vitória, deixaram em mim, ténues lembranças, que são as expressões das minhas vivências pessoais. A minha pele é como uma tela de um artista, onde vão sendo pincelados os sorrisos partilhadas, os olhares cúmplices, as lágrimas de todos os momentos (os bons e os maus), as preocupações, as memórias e principalmente a minha atitude perante a vida.
    As minhas rugas são as minhas medalhas... as minha condecorações... expostas na preciosa galeria que é o meu rosto.
    Eu trato as minhas rugas com muito carinho e orgulho, porque elas merecem o melhor!... Sim... 'Porque eu mereço!!!'

  • Sónia Silva

    Sónia Silva

    Sónia Cristina Duarte da silva, 32 anos

    O que revelam as minhas rugas...

  • Rugas

    Rafaela Cruz, 51 anos

    Rugas para que vos quero? Rugas são vida, são situações vividas, aprendidas e contidas em nós. São a sabedoria a vir ao de cima. Rugas são rugas, mais feias menos feias. São elas, puras, vivas e embutidas na nossa pele. Cada uma contando a sua estoria. Estórias boas, estórias más. Cada uma gritando e se aprofundando a cada dia que passa. Elas, só elas. Convivendo e me enternecendo com a passagem do tempo. Rugas, a´rugas! Só minhas.. São a vida vivida a cada dia. Só rugas e mais rugas.. de lado, em cima e em baixo. Em cada canto do rosto, perfundas, superficiais, de expressão, de velhice. Rugas, assim, sem mais e menos. Rugas, vocês matam-me por fora, mas satisfazem-me por dentro!

  • As minhas Rugas Gemeas

    Teresa Gomes, 42 anos

    Quero falar das minhas rugas do contorno dos olhos, devo-as á luta e persistência que tive em ter a Matilde e a Francisca que ao final de 2 anos de muita luta, hoje cá estão com 6 anos, prematuras de 28 semanas, 860gr e 1.110 Kg, que graças a Deus, estão cá bem cheias de saúde e alegria para continuarem a contornar o meu rosto.

  • A ruga poetiza

    A ruga poetiza

    Susana Alves o Vale, 40 anos

    Quando não queria crescer sentia-me importante
    Olhava no espelho e via uma face rosada e lisa
    Acontece que aquele momento foi um instante
    E passados alguns anos senti-me a ruga poetiza

    Escrevia com o sentido do olhar,
    como se de um sulco na pele se tratasse
    o desgosto de aqui estar
    desgastada por uma pele que se falasse...

    Mas ela fala! Com a emoção de uma carquilha
    Com a vibração de um sentir
    Com a tentação de ser outra vez filha
    e não mãe a fingir..

    Mas afinal, onde está essa paixão
    Essa vida de prazeres que tanto pesa na alma?
    Está na face dizia o meu coração
    e eu olhei ao espelho e bati uma palma

    Depois bati muitas.. e continuei a olhar para mim
    prostrada no espelho a sorrir sem fim!

    Era eu que estava ali!
    As minhas rugas provavam o meu saber!
    A Minha vida, o meu crescer!

    E sou feliz... pelo menos a ruga poetiza assim o diz...

    Susana Alves

  • A vida é um processo

    A vida é um processo

    Vera Lúcia Santos Pedroso Lima, 47 anos

    Eu não tenho rugas. O meu rosto espelha o número de vezes que fiquei sem dormir. Ora porque já fui jovem e a noite era um mistério a descobrir, ora porque os filhos choraram de noite com fome, doença ou medo.
    Eu não tenho rugas. Tenho o somatório de vezes em que me esqueci de proteger do sol, porque quando somos novos tudo é válido. Nada nos afetará. A testa mostra as vezes que fiquei zangada, curiosa ou insatisfeita com as respostas e, pelos vistos, foram muitas!
    O meu rosto mostra quem sou, mas sobretudo quem fui e o que já vivi. Não tenho vergonha nem vaidade. Tenho um rosto, a que se associa um nome e uma vida preenchida com três filhos, um emprego, vários trabalhos ao longo do dia e muita vontade de viver.
    Esta sou eu. Se pudesse rejuvenescer, rejuvenesceria, desde que o espelho me reconheça sempre como sendo eu. A dona da minha história.

  • Rugas com muito orgulho

    Rugas com muito orgulho

    Sara Pimentel Castro Rocha, 50 anos

    As rugas são Tatuagens gravados na nossa pele de momentos agradaveis ou não como o sorrir o chorar o pensar e todos nós devemos ter orgulho delas.
    Todos dias de manhã olho para elas e digo ' Meninas novo dia comecou vamos hidratar pois temos muito que trabalhar'
    E continuo o dia a sorrir,pensar,zangar.....
    beijinhos Loreal por todos dias hidratar as minhas ruguinhas.....

  • A minha Avó Arcisete

    A minha Avó Arcisete

    Filipa Monteiro Leite Xavier Ferreira, 32 anos

    Em vez das minhas, conto a história das rugas da minha Avó Arcisete.
    É estranho, porque quando estou com ela, nunca reparo nisso, só a olhar para fotos atentamente, é que percebo que elas estão lá.
    A minha avó sempre sorriu muito (ainda sorri) e umas das melhores recordações que tenho são as suas gargalhadas. Ainda hoje temos momentos em que não conseguimos parar de rir.
    As suas rugas contam as histórias das aventuras com o seu pai, o meu bisavô, e contam as histórias de todas as viagens e de todas as festas a que foi com o meu Avô. As suas rugas contam as preocupações que teve com os filhos, a minha Mãe e o meu Tio , mas, principalmente, todas as alegrias. As suas rugas contam as histórias e caretas que fez para entreter os seus cinco netos e as canções que cantou para nos adormecer. As suas rugas suavizaram quando conheceu o Afonso, o seu bisneto.
    As suas rugas também expressam desgosto e tristeza. Expressam a perda do meu Avô, o amor da sua vida e a perda de um filho, o meu Tio, uma dor inexplicável que deve ser essa de perder um filho.
    Mas lentamente, mesmo depois disso, a minha Avó voltou a sorrir e acredito que as suas rugas contam toda a sua história. Contam alguma tristeza mas acima de tudo, as rugas da minha Avó contam como ela foi feliz, como ainda o é e, principalmente, tudo o que fez para nos tornar a todos pessoas mais felizes.
    Espero que um dia as minhas rugas contem tanto como as dela.
    [foto: a minha Avó há alguns anos atrás e agora]

  • Mãe, promete que nunca serás velhinha!

    Margarida Morais , 44 anos

    Esta é a única promessa que não vou puder cumprir. Sou mãe de uma menina de 4 anos, uma mae com 43 anos com o maior dos desejos realizado. Aos olhos dos avós serei sempre uma menina. As minhas rugas também contam a sua história, uma história com 44 anos de um amor sem medida. Contam a história de boas gargalhadas com o meu pai e do colo da mãe quando o mundo desabou. Contam a história de uma família única. O meu porto de abrigo. Mas nem tudo na vida são rosas e afinal eu não terei um conto de princesas, mas serei eternamente princesa, pelo menos para o avó caramelo.
    Sou mãe de uma menina e só podia ser mãe de uma menina. Diáriamente, me revejo nos seus trejeitos, na sua pequena vaidade e de soslaio a admirar-me no cuidado com a pele, uma heranças da avó Linda. Todos os dias confirma se o creme foi posto, se o cuidado que tenho comigo é certo e pontual.
    Esta é uma promessa que não posso prometer, mas que posso adiar.
    As minhas rugas, felizmente, não são muitas, a minha mãe diz que tenho uma pele dura, eu diria que são fruto de uma pele rija que vem de dentro.

  • Rugas? Não! Eu uso a escolha certa!

    Rugas? Não! Eu uso a escolha certa!

    Monica Teixeira dos Santos, 37 anos

    Sou jovem, já fui mais e serei cada vez menos, pois ja tenho algumas
    rugas que o comprovam.
    Até à uns anos atrás nunca me preocupei com esta questão, mas com o
    passar dos anos, o sol, a poluição, a maquiagem diária para esconder
    algumas imperfeições, as gargalhadas rasgadas sem fim e o medo de
    acabar com a cara amarrotada, como costumamos dizer, acabei por me
    render a estes produtos milagrosos! E digo isto, porque o sinto a cada
    utilização! Sou esposa, mãe, dona de casa e trabalho e com tantas
    coisas, por vezes não temos tempo para nos cuidarmos. Mas quem não
    gosta de ser bonita e ter uma pele jovem? Por isso, espero continuar a
    contar com a L'oréal e a Revitalift para me ajudarem a superar essas
    marcas do tempo.

  • Minhas rugas não são minhas são da falta de cuidados com a minha pele !!

    Maria Beatriz Abdulremane , 52 anos

    Eu não tenho rugas aos 51 anos porque sou velha. Mas tenho porque deixei passar os cuidados que deveria com a pele, hoje em dia com tantos produtos nas nossas mãos não deveria passar por isto tão cedo assim .
    Deixando o tempo passar é passando dos 35 anos começamos a usar o sol sem protetor, a dormir sem um creme na cara e andamos o dia todo e nem limpamos a pele, acordamos e não preparamos a pele para o dia de trabalho.
    São estes passatempos que fizeram minhas rugas e manchas adiantarem o tempo. Falta de uma educação juvenil como hoje dou as minhas filhas .
    Ficaria imensamente feliz com esta oportunidade de receber atenção com a pele com um produto altamente testado e garantido.
    Não vou escapar da idade adulta e nem quero, pois quero chegar aos 97 anos. Mas quero chegar com idade certa como a minha mãe que tem 87 anos, que nas duficuldades da vida usou
    um produto Loreal

  • As minhas rugas começaram quando nasci

    As minhas rugas começaram quando nasci

    sandra cristina alves Jorge, 40 anos

    Olho para esta foto e percebo como ela diz tudo, um sorriso franco, os meus dentes enormes, cabelo molhado do mar, na minha praia favorita, à frente o meu filho que é garantia dos melhores sorrisos e por detrás da câmara o homem da minha vida.
    As minhas rugas começaram a nascer no dia 20/12/1977 dia em que nasci o meu avô morreu, era o prenuncio de algo grandioso. A partir desse dia, lembro com ternura e medo os dias em que elas mais se acenturam...O dia do nascimento do meu irmão, os dias em que nenhum rapaz queria namorar comigo porque era trinca espinhas e dentuças, os dias em que as raparigas giras me inferiorizaram, o dia em que tive que dizer à minha mãe que estava um papel no correio que confirmava que ela tinha cancro, o dia em fugi ao segurança do IPO para dar um beijo à minha mãe, o dia em que se soube que ela estava curada, o dia em que o meu irmão teve uma dor de cabeça estranha, o dia em que se senti uma mulher jeitosa, o dia em que terminei o curso, o dia em que cheguei à porta da empresa onde hoje trabalho a dizer que só queria estagiar e aprender e hoje tenho o emprego que me realiza, o dia do triplo bypass cardíaco do meu pai, o dia em que o homem da minha vida se ofereceu para levar as minhas botas estragadas ao sapateiro me deu um beijo e me pediu namoro, o dia do nosso casamento de sonho com os meus pais felizes e de saúde, o dia em que não se via o embrião, o dia em que afinal havia embrião, o dia em que o fantasma da microcefalia entrou nas nossas vidas, o dia em que o Raúl nasceu de cabeça de simpson, os dias das birras, os dia do nascimento da minha sobrinha, os dias das gargalhadas, o dia do casamento do meu irmão. Até parece simples resumir assim 39 anos, mas a verdade é que têm sido, afinal, muito simples...Basta não complicar, sonhar, ter fé e acreditar. Tenho um profundo orgulho nas minhas rugas.

  • As minhas Rugas e eu!

    Maria Manuela Fialho DR Ramos, 52 anos

    Cada uma que se vai definindo faz a sua aparição sempre de manhã. Quando me olho bem ao espelho cá está ela .As dos olhos são as mais vincadas , são o reflexo do riso solto que me orgulho de ter , gosto de rir , faz bem rir.As que se desenham junto aos lábios são da curiosidade de tanta pergunta ainda fazer e da já ter tantas histórias para contar , falo muito às vezes de mais , mas sou assim , tagarela .

  • as minhas rugas sao perfeitas

    Lucia Lino, 52 anos

    Eu tenho 51 anos, uma vida cheia e atarefada, criar filhas, trabalhar.
    Para mim era natural olharme ao espelho e ir vendo aqueles pequenos sulcos que se iam formando.
    Mesmo com o cuidado de cuidar da pele, faziam parte de mim, sentia me bonita.
    Estava ali a minha historia em cada uma delas e fui apanhada desprevenida quando alguem
    ficou chocado com as minhas rugas,eu fiquei chocada e ainda nao consegui superar esse choque.
    Eu fiquei chocada por alguem ficar chocado com as minhas rugas.

  • Traços de vida

    Traços de vida

    Alice Fael de carvalho, 55 anos

    Olho-me ao espelho e sorrio.
    Sorrio sempre que vejo os traços que escrevem a minha história de vida.
    As rugas que encimam a fronte, na testa, marcam as preocupações que me deram os filhos traquinas, os empregos consecutivos, as finanças parcas, que de nada serviram porque as crianças cresceram e os problemas foram-se resolvendo, a pouco e pouco.
    Ali, bem ao meio, num sulco vincado entre sobrancelhas, ficou assinalado aquele erro mais grave, um momento de raiva, uma angústia profunda, que não se esquecem mas já não importam.
    Sobressaem as rugas finas junto aos olhos, dos risos que soltei por tudo e por nada, pelos momentos vividos com a família e com os amigos, por acasos e coincidências, por felizes acontecimentos.
    Os traços vincados que circunscrevem os lábios ficaram depois de algumas mágoas, algumas perdas, algumas desilusões, que o tempo tratou de suavizar e compensou de outras formas e noutras oportunidades.
    Depois, menos visíveis, começam a surgir algumas rugas no pescoço e nas mãos – porque a juventude parte subtilmente e sobrepõe-se-lhe a vivência dos anos passados.
    Triste? Não, nem pensar! Cada momento valeu cada marca, como medalhas ganhas em cada uma das batalhas que travei.

  • Os meus sentimentos

    Os meus sentimentos

    Susana andrade, 39 anos

    O meu crescimento não foi muito feliz tristezas alegrias .e elas vão aparecendo as minhas amigas ruguitas.em nova comecei a sofrer com primeiro a morte do meu pai a primeira apareceu com o choro de largos anos .Mas lembrando me de muito me rir com ele. mas elas gustaram da minha carita laroca cá voltaram com muitos sorrisos com as minha duas princesas dias de rir dias de chorar eu gostava de estás rugas tirar.

  • Rugas

    Rugas

    Maria Gomes, 53 anos

    Rugas

  • As minhas Rugas

    As minhas Rugas

    Eulália Maria Dos santos sereno, 50 anos

    As minhas rugas são a história da minha vida ,,quando me olho ao espelho vejo que as tenho cá e sei porquê ,,fiz quìmio e radio
    e claro a vida não é fácil,,,mas também tenho rugas de alegria ,,de expressão ,,adoro sorrir ,,sorrir para a vida ,estou viva !!!

  • Rugas do tempo

    Rugas do tempo

    Maria Celeste Rodrigues Dias Batista, 55 anos

    Olá sou a Celeste tenho quase 55 anos para dizer a verdade não me sinto com essa idade gosto muito de mim claro olho me ao espelho e gosto do que vejo . As rugas sim tenho algumas mas contente de as ver sou muito extrovertida amo a vida sorrir então e o melhor.A vida não me tem ajudado muito fiquei viuva a dois anos agora resnasci e acho me mais nova NÃO sei me dizem que a idade não passa por mim até estou a pensar fazer um book amo fotografia e a minha pele madura .Agora comecei a usar o Revitalft e estou a ver grandes resultados obrigado bjs

  • Brincar sempre como uma criança

    Brincar sempre como uma criança

    Cristina Valente, 55 anos

    As minhas rugas são a prova da minha felicidade! Brincar sempre, rir e fazer rir os outros, levar o melhor de mim aos outros, é a minha motivação. Criar momentos de pura felicidade, sorrir por dentro e por fora. Encontrar sempre um lado positivo na vida, mesmo quando esses momentos nos trazem mais uma ruga! E venham elas...é sinal que estamos vivos. É sinal que a nossa existência deixa marca no nosso rosto e no rosto dos outros com quem nos cruzamos, quer seja por um só momento ou uma vida eterna!
    Se cada ruga significa um ano de vida...tenho então 54 rugas e tudo irei fazer para conseguir outras tantas! Assim queira eu e o meu destino. Assim queira a Vida!

  • As linhas da minha história

    As linhas da minha história

    Rosanna marotti Cardoso , 47 anos

    Minhas linhas, minhas rugas,minhas expressões. O tempo faz de mim personagem onde cada sinal,cada vinco,cada momento de mim traduz-se em risos,lágrimas e meu rosto passa a ser a capa principal de minha história. Hoje revejo em mim minha avó e minha mãe ,mulheres da minha vida. Dentro e fora de mim já pedaços que divido com minha irmã gêmea. Ahhh rugas e olheiras de noites veladas pelos filhos. Flacidez do tempo que não me espera e lá vão as bodas de prata! Eis-me aqui, neta,filha,Irma,mulher e mãe ! Os sinais que em mim existem são prova de tudo o que vivo,que luto,que sonho e conquisto.

  • No parapeito da minha vida

    Paula Santos, 55 anos

    Há muitos anos que tenho algumas rugas de estimação. Não sei se retratam o que há de melhor em mim mas gosto mesmo muito delas. Sei que retratam as minhas lutas, as minhas dores, os meus esforços e também as minhas alegrias. Sim, porque rir convida as rugas a ficar.
    Tenho outras que foram marcadas a fogo na alma e vieram respirar à superfície da minha pele. E ficaram. Essas são as que doem.
    E ainda restam as nativas, as que existem porque sim. Porque estou simplesmente a envelhecer.

    E, se nada mais nem ninguém estiver neste processo, elas estarão a olhar comigo o abismo de todos os dias. Como qualquer relação de pele também as provoco quando as acaricio ou quando as detesto e é nesse espaço de provocação que defino o meu momento seguinte.

    Partiremos sempre juntas porque não deixo nada no parapeito da minha vida.

  • O que dizem as minhas rugas...

    O que dizem as minhas rugas...

    Fatima Carvalho, 47 anos

    Sim,as minhas rugas,

    Dizem que apesar de todos os obstaculos,consegui,sim,consegui ser feliz,pensar,planear,por em pratica o meu proprio caminho.
    Gosto das minhas rugas,nao,mas elas fazem parte de mim,do meu reflexo da minha erosao humana.
    Elas sao o marco de mts gargalhadas,e mt cansaço.

    Nao mudava uma virgula da minha vida...
    Mas tirava algumas rugas.

    Obg😊

  • As minhas rugas são marcas de vida vivida

    As minhas rugas são marcas de vida vivida

    Elisabete Costa, 43 anos

    A minha vida tem sido difícil, mas qual não é, qual não é diferente e especial, a minha me fez crescer e tornar mulher, e me fez encarar a vida sempre com um sorriso nos lábios, mesmo que por vezes por dentro esteja a chorar. Encaro a vida sempre com pensamento positivo e tento sempre ver o copo meio cheio e nunca meio vazio, namoro com o meu marido desde os meus 10 anos, tenho agora 43 e casada à 21, com dois filhos lindos uma menina de 18 e um menino de 11, com saúde, que mais alegria poderia ter, não há dinheiro mas há muito amor. É na alegria de viver que as rugas me marcam, sempre me disseram: não sorrias tanto que faz rugas, então vou ser uma velhota muito enrugada :)

  • Rugas da minha vivéncia

    Esmeralda Morais, 50 anos

    Devido á minha idade vou tendo algumas rugas de expressaó; e das vivéncias que vou passando mas que as guardo com entusiasmo e boa disposiçao uma vez que fui maé de quatro filhos e dois netos seria uma grandee felizarda se naó existissem algumas delas por ter perdido o meu filho mais velho acerca de há 7anos com 22anos de acidente de carro a dor da ausencia continua e marcam uma profunda existéncia da história da minha vida embora sorria á o espelho do meu sofrimento no rosto beijinhos

  • As minhas rugas e eu

    As minhas rugas e eu

    Clara da Soledade de Carvalho Sousa Martins dos Santos, 50 anos

    Olá. A primeira coisa que me passou pela cabeça quando ouvi falar neste passatempo foi 'RUGAS!!!??? Aiiiiiiiiiiiiiii!'
    Ouço tanta gente dizer que lida bem com as suas rugas, que elas contam a nossa história de vida e blábláblá... . Mas eu não sou assim! Confesso: estou a lidar mal com o passar dos anos. Não porque tenha saudades do tempo que passou, nada disso, quero um futuro e não um passado; não porque não goste de mim, até porque em cinco meses e meio acabei de perder 44kg o que me leva a adorar-me; não porque queira ser jovem para sempre, porque é tão bom ter uma bagagem de vida como suporte!
    Acho que este meu medo é pela lembrança que as rugas trazem duma cada vez mais próxima fragilidade física e psicológica, pela lembrança de que já não tenho mais cinquenta anos para desfrutar da companhia dos que me são queridos, pela lembrança de que muitos destes brevemente começarão a partir e ainda porque a minha mente não acompanha este processo e ainda julga ter vinte e cinco anos (às vezes até menos!)...
    Desde há muito que travo esta batalha da melhor forma que tenho conseguido: procuro manter-me ativa, cremes e mais cremes (são uma paixão), muita água, nada de tabaco e tive a sorte de, durante dezassete anos, ter o melhor antídoto contra o envelhecer possível, pois trabalhei com crianças, o melhor que o mundo tem.
    Enfim, este desabafo foi quase uma epifania, pois acabo de compreender que, embora continue a não gostar nem a querer as minhas rugas, afinal não estou a conviver tão mal assim com elas.
    Como diz uma canção conhecida 'I am seveteen going on...' fifty... e que bom isso é!

  • A história das minhas rugas (não mudei o titulo pq o achei perfeito)

    A história das minhas rugas (não mudei o titulo pq o achei perfeito)

    Carla Miguens, 43 anos

    Tenho 43 anos e poderia dizer tanto, poderia dramatizar a história das minhas rugas - mas não o vou fazer pois cada uma delas conta uma história, uma história que termina com uma vitória.
    2 casamentos - 2* vitima de violencia doméstica fisica e psicologica - 2 divórcios - 1 filho com 19 anos
    20 anos após o final da licenciatura - 20 anos a trabalhar - às vezes ou demasiadas vezes a engolir sapos
    pela 3ª vez a tentar recomeçar e a conseguir recomeçar!
    Rugas vitoriosas - rugas corajosas - rugas que saborearam as minhas lágrimas e viveram os meus sorrisos
    Obrigada rugas!

  • Rugas, são parte de mim😍

    Rugas, são parte de mim😍

    Lídia Brás, 50 anos

    Provavelmente, não tenho algo de novo para vos contar, mas arrisco a partilhar a sensação do meu primeiro encontro. Foi num dia em que nem a escova de dentes teve o prazer de me roubar um sorriso, foi inevitável a escolha de um vale de lençois, pouca luz e alguma nostalgia de alguém que não consegui manter. Apesar de mal humurada, tentei não falhar ao eccontro, porque tinha que enfrentar esse medo!!! E, sem mais, nem menos,apareceu-me à frente a minha alma gêmea, mas com rugas! Eu, nem queria acreditar, estava perante uma pessoa que inevitavelmente teria que amar, mimar, e render-me à nova condição de ver a minha cara metade enrugada. Nao tem sido fácil este relacionamento, mas estamos em sintonia numa coisa, a vida é bem mais fácil quando aceitamos as diferenças.

  • Rugas, para que vos quero???

    Rugas, para que vos quero???

    Emanuelle Cavalcante Freire, 39 anos

    As ruguinhas que hoje fazem parte de mim são aquelas que ficam em cima da testa..de franzir as sobrancelhas sabe? Sinal de muita ansiedade ... ou também de fazer cara carrancuda(aquela cara de quem não se conforma apenas) aquelas ruguinhas típicas dos miopes... (como eu). Ruguinhas,motivos,histórias.. marcas do tempo.Ao longo dos meus 38 anos, nunca tive problema em assumir a minha idade,e sabem porquê? Porque o lugar que mantenho marcadas as minhas lembranças não é no meu rosto e sim na minha memória! Eu me amo,me aceito, mas me cuido e gosto de me ver bem. (As ruguinhas vão aparecendo e desvanecendo).
    Nada melhor do que envelhecer bem! Envelhecer é inevitável, mas a forma e a rapidez posso escolher como!
    Que as memórias e toda minha história sirvam para refletir o que eu fui e quem sou, mas eu já fui jovem, hoje não sou tanto e amanhã menos ainda. Não posso esquecer de acompanhar as mudanças :)

  • A história em ponto pequeno

    vera lúcia gonçalves ferreira, 35 anos

    Olá vamos conhecer a história de uma menina-mulher que tem uma aprendizagem recente. num belo dia as coisas começaram a degradar-se todas junto coma saúde que se perdeu. A menina-mulher ganhou rugas mas nem notou, perdeu peso e nem se assustou, porque estava a aprender a viver de modo diferente, com mais dificuldades mas mais sabor nas coisas pequenas. A menina mulher aprendeu que há solução para tudo ,basta procurar e mal viu as suas rugas procurou o creme revitalift da lóreal e mais uma vez viu que podia sempre contar com a sua marca preferida.

  • ADN e as malandrecas

    ADN e as malandrecas

    Sónia Azevedo, 47 anos

    As malandrecas quando nasci já vinham registadas no meu ADN. Vão dando sinal pouco a pouco , como quem não quer a coisa , primeiro instalam-se confortavelmente como ruguinhas de expressão , e eu como tenho uma tendência natural de franzir os olhos é vê-las invadirem-me sem permissão!
    Depois , aparece o malandro do ' bigode do chinês' quem disse que queria ter bigode?! Muito menos o de um chinês!!
    Mas fez do meu rosto a sua casa e não consigo expulsá-lo !
    Acabei por ter que me resignar e aceitar estes visitantes permanentes sem terem sido convidados.
    Regra geral a convivência dá-se de forma saudável , aceita-se , percebe-se , e sei que vieram para ficar.
    Que deixei de gostar de mim ?! Nem pensar ! Que as pretendo atenuar ? Concerteza!!
    Quem sabe com a Revitalift a ajudar!!

  • Espelho…Espelho meu...

    Espelho…Espelho meu...

    Alexandra Pires, 40 anos

    Espelho…Espelho meu, porque tenho eu estas rugas?
    E responde o espelho…
    Minha querida pois tens!
    E tens porque insistes em fazer as mesmas 'caretas' que as pessoas que estão a falar contigo ou que aparecem na TV fazem!
    Porque devias usar óculos ou lentes a tempo inteiro…mas não, preferes viver como se fosses o Mr. Magoo!
    Porque és humana ….e choras e ris que nem uma perdida!
    Porque és um furacão de emoções…e não as escondes!
    E porque…porque tens 40 anos…e diga-se 40 bem vividos!
    E eu volto a perguntar?
    Que posso fazer para atenuar estas rugas?
    E o espelho responde…
    Participa no Passatempo Revitalift e pode ser que tenhas sorte….ah e não te esqueças continua a ser sempre tu mesma…porque não há nada mais bonito do que ser genuíno, com ou sem rugas!

  • As minhas rugas ...gosto delas..pois cada uma lembra-me uma história.

    Maria José Sequeira, 50 anos

    sonhadora e empreendedora e as rugas são as lembranças vividas numa tabanca em África, de muitos sorrisos com uma escola construida com as crianças, de dois filhos que me fazem sorrir para a vida e com um companheiro que me ama com todas elas e me faz rir de prazer.
    Rugas são rabiscos de cada riso e lágrima da vida que vivo.

  • As minhas Rugas

    As minhas Rugas

    Isabel , 55 anos

    As minhas Rugas…pouco há a dizer… são minhas....se faço por isso?
    Sim… adoro rir…. E as rugas nunca irão impedir-me de o fazer…. Bom seria se elas não fossem tão teimosas e não aparecessem… mas não consigo demovê-las…
    Tenho linhas de expressão bastante profundas.. Chamo-as de rugas da juventude, uma vez que desde muito menina elas insistem em marcar o meu rosto. São frutos do hábito de sorrir muito (doce ironia meu rosto marcado pelo meu sorriso quase constante – adoro brincar com isso!).

  • Aos 43 feliz com Revitalift

    Aos 43 feliz com Revitalift

    Mónica Delgado, 43 anos

    Esta foto foi tirada aos 40 anos , 15 dias depois do meu filho ter nascido, hoje tenho 43.
    Fui uma mãe tardia, por escolha.
    Sou atriz de formação, conheço o á frente e atrás das câmaras.
    Antes de ter estudado teatro em Los Angeles, mais especificamente em Hollywood, na Stella Adler Theater Academy, estudei cinema na António Arroio em Portugal, e ainda trabalhei nos bastidores. Depois quando voltei encenei, dirigi atores para televisão, participei em duas series, e pisei o palco também.
    O Revitalift conheço de casa do meu pai, não era ele que usava mas a minha ? 'mãe-drástica' como carinhosamente tratamos a minha madrasta.
    Quando percebi as primeiras rugas, que nem foram nos olhos, comecei logo a usar os dois cremes, olhos e rosto. Já fazem pelo menos 15 anos que os uso. Já recebo elogios das conselheiras da La Mer para a minha mãe a dizer que tenho uma pele muito boa. É claro que já experimentei vários cremes e o da La Mar é fabuloso, para quem o pode comprar, mas funciona mais como um hidrataste intenso. O revitalift continua a ser o meu creme, o de olhos então não vivo sem. Os dois em conjunto são tão necessários como o meu café na manha. Não há até agora, e acreditem que já experimentei alguns, bastantes deles mais caros , que me deem mais conforto á pele que o Revitalift. Tenho pele seca e dificilmente encontro outro quengo me faça sequer sentir que tenho pele. Obrigada Revitalift

  • Elas fazem de mim o que sou...

    silvia de macedo, 47 anos

    Pensando nelas, prefiro cuidar delas e quando me levanto e me deito não o faço sem olhá-las e tratá-las.
    São a companhia diária esbatida de quem passou os 'entas' mas quando me olho ao espelho vejo que o tratamento que lhes devoto, ao longo dos anos, as esbate e eu fico a pensar que tratar e cuidar é amar!
    Cuido de mim e cuido das minhas rugas.
    Sem elas não era eu e elas sem mim não existiam.
    Coexistimos as duas porque sabemos cuidar-nos.
    Cuide-se e ame-se.
    Viver é aceitar e saber seguir.





  • As rugas da alegria e da tristeza

    As rugas da alegria e da tristeza

    Amélia Frazão, 44 anos

    A minha primeira ruga apareceu no dia do nascimento da minha filha. Da força, da alegria de ver a miniatura que esteve dentro de mim nove meses. O aparecimento de mais rugas foi quando diagnósticaram me a doença de Crohn. Exames e mais exames, o uso de corticoides constante fez com que fosse perdendo alguma elasticidade na pele...São marcas de muito amor e de alguma tristeza e dor...

  • O meu rosto tem uma história!

    O meu rosto tem uma história!

    Gilda luis, 43 anos

    Uma história normal, mas que deixou marcas! Uma vida com uma infância normal (nem muito feliz nem infeliz... sem aquele momento único), uma mudança de terra, escola, amigos e família aos 15 anos, as tradicionais dúvidas na altura da faculdade (com direito a uma mudança de curso), um casamento falhado, mas que me deu o melhor do mundo: uma filha linda!
    Por fim um dia a dia pesado, de mãe solteira, mas feito com prazer é amor.

  • Rugas de sofrimento risos e lutas

    Paula Alexandra Oliveira, 49 anos

    As minhas rugas são memórias das vezes que de tanto chorar inchavam os meus olhos ou então das vezes que me ri a gargalhada sem nenhum motivo. Estão cá vieram para ficar, tem dias que as tolero dias em que não as vejo e dias que não as quero ver.

  • Preciso tiras ruras

    Preciso tiras ruras

    Deolinda Vieira vilas boas, 47 anos

    Olá preciso da vossa ajuda sou uma pessoa que deixei de ter tempo para mim a 12 anos estou a tomar conta do meu pai que está acamado preciso de um sorriso para isso preciso ganhar

  • As minhas rugas

    Maria de fatima Nunes, 52 anos

    Não gosto nada das minhas rugas! Gosto do azul do céu, do sol, do mar, da praia, das estrelas e de rir até a barriga doer.
    Mas elas estão aqui, bem desenhadas nas curvas do meu rosto. As rugas da testa, as dos olhos fazendo prega para proteger dos reflexos do sol e as do sorriso que estão sempre no lugar certo, mesmo repousando contam a toda a gente que sou alegre e feliz, o que vivi e quem sou. As rugas das mãos que as tornam um pouco desajeitadas, mas não me impede de acariciar os que amo.
    São as minhas rugas que me definem, que juntam as saudades que tenho do meu tempo de menina e moça. As minhas rugas são parte de mim e contam a minha história. Contam historias vividas dos anos em flor. Acabam com a minha juventude. Não acabarão com o amor que sinto por ti, por ela e por nós. Tenho rugas no rosto, o coração e alma permanecem planos e orvalhados
    Na realidade, são elas que me define e por isso cuido delas todos os dias. Tal como cuido de ti, dele e de nós

  • Rejuvenescer com o meu sorriso 😊

    Paula Fernanda Pereira Fernandes , 41 anos

    Rugas, o que são rugas?
    Para mim, são traços marcantes que passam pelas nossas vidas com momentos às vezes mais tristes, outros mais felizes. Mas todos eles com um papel fundamental sobre nós, e isso por vezes transparece no nosso rosto.
    No meu caso, a minha maior alegria são os meus filhotes 👫 que são a minha a minha vida , amo - os mais que tudo e quando nos divertimos juntos , rio me muito como se não houvesse amanhã , eles adoram me verem a sorrir e dizem que gostam muito de ver as minhas covinhas de felicidade , eles dizem que parece que tem um traço à volta da minha boca, mas isso não me preocupa e rio disso porque sei que essas rugas expressam a minha alegria de estar junto deles , e também sei que uso os produtos certos. Por isso não estou preocupada em envelhecer, tenho um pequeno segredo 😊Revitalif Extra Firmeza 💖Adoro

  • Linhas do tempo

    Maria Proença , 52 anos

    Não damos pelo tempo que passa,na pressa da vida,ansiamos para que os minutos se multipliquem ,para que o tempo nos dê mais tempo ...e no final do dia o registo é feito ,todos os sorrisos e os desalentos,todos os flashes de felicidade e desilusão ficam marcados no espelho da nossa alma...o rosto...e todos os dias o processo se repete,e quando os dias se acumulam em anos,apenas esperamos que a serenidade se sobreponha ás marcas do tempo ,desse tempo cheio de contratempos...umas vezes felizes outras vezes não .mas no final é o percurso dessa vida que se espelha naquilo que vivemos....naquilo que somos,almas marcadas...almas felizes....outras não .

  • sorrisos e lágrimas  !!!

    sorrisos e lágrimas !!!

    Noémia Cristina gonçalves da Silva

    Costumo dizer que tudo o que vivi esta escrito no meu rosto, rugas de riso, de preocupação, de tristeza, todas estão cá, umas mais marcadas outras menos, sou a pessoa que não consegue esconder o que sente, mesmo que não me conheçam ao olhar para o meu rosto nota-se se estou triste, zangada, contente ou feliz.. !!!... já ri muito e chorei outro tanto, muitas vezes dizem-me, tens rugas!!! e eu respondo,sim tenho e são todas minhas, não esconderei as minhas emoções para não as ter...!!!! sou o que sou e como sou !!! feliz ás vezes outras nem tanto.

  • As minhas rugas e a minha vida

    As minhas rugas e a minha vida

    Ana Luisa Gil, 30 anos

    Quando me desafiei para falar sobre as minhas rugas lembrei-me automaticamente de duas musicas da Mariza: “chuva” e “o melhor de mim”
    Como não sabia quais eram as minhas verdadeiras rugas, por eu não me olho ao espelho e tenho muito medo do espelho, para procurar as minhas rugas [tenho medo de “mesmo sem ver acreditar nelas”], resolvi perguntar a uma amiga sobre quais eram as minhas rugas e ela disse: as da testa e dos olhos
    Realmente tem toda a razão.
    As minhas rugas são marcas, são as marcas da minha vida.
    As rugas que tenho na testa, são horizontais, são as marcas que mostram as saudades do que já partiram: mostram as saudades do meu pai, da minha avó, do André, do meu tio.
    As minhas rugas trazem-me à lembrança as saudades, porque como diz a Mariza “há gente que fica na história da gente” e todos os que são meus já partiram são parte da minha história e parte de mim. Estas rugas mostram as minhas preocupações, os meus dramas que não dramas. As rugas da testa mostram as tempestades que tardaram em acabar. E como diz a Mariza “é a vida que segue e não para”.
    As outras rugas são as dos olhos e também como diz a Mariza “há dias que marcam a alma e a vida da gente”. As minhas rugas dos olhos são os sorrisos com os meus amigos, são as gargalhadas espontâneas e inesperadas dos melhores momentos da minha vida ao lado das pessoas que mais me apoiam: a minha mãe, o meu marido, a minha família e os amigos.

  • Rugas, pedaços da minha vida.

    Rugas, pedaços da minha vida.

    Célia Maria Bento do Rosário Flores, 51 anos

    Afinal os 50 não são o fim do mundo. Olho para trás e sei que vivi intensamente cada um dos momentos...fi-lo com intensidade porque só assim sei viver. Tive uma infância feliz e uma adolescência tranquila. Casei e fui mãe, e a maternidade foi até ao presente a experiência mais gratificante de todas. Agora quando me olho ao espelho sei que o tempo deixou marcas...e que todos os risos, sorrisos, gargalhadas, choros e 'amargos de boca' ficaram registados no meu rosto , mas adoro ! Afinal representam tudo aquilo que sou.

  • 47 anos de sobrevivencia a sorrir

    47 anos de sobrevivencia a sorrir

    Fernanda Montenegro

    Eu estava a pensar como poderia descrever as minhas ruguinhas quiduchas, mas só recordo a vontade imensa que tenho sempre de rir perante tudo, mesmo nas adversidades em que fui posta á prova, a solidão da juventude, as duras aprendizagens, tudo somado na vida com saldo positivo, porque nada me abala, sempre vou sorrir e fazer sorrir para afastarmos as negatividades do dia a dia. Amo viver, amo a minha família, a nossa tartaruga gay, os meus colegas de trabalho, que alegram todos os meus dias e adorroooooo as minhas rugas que embelezam o meu rosto.
    Um muito Obrigado por chegar aqui,,,

  • MINHAS RUGAS SÃO MINHA ALEGRIA

    MINHAS RUGAS SÃO MINHA ALEGRIA

    Anne mary arraes babosa, 61 anos

    As rugas refletem o amor que eu tenho pela vida buscando a intensidade de viver com alegria e aproveitando o máximo dela com muito amor esportes sonhos que transformamos em realidade.
    Portanto minhas rugas sao as marcas da minha VIDA.
    Sou loura e do uso produtos loreal

  • a minha historia

    margarida macedo, 47 anos

    Era uma miuda como tantas outras.....feliz...despreocupada,com os melhores pais do Mundo.Até ao dia em que pensei ter conhecido o 'amor da minha vida'....tudo muito bonito...apaixonado....um principio aparentemente perfeito....Até ao dia em que o Mundo começou a desabar....a minha mâe faleceu com um tumor,e passados alguns meses o meu pai tb.......fiquei de rastos....já não tinha os meus amores!!! a minha vida começou a complicar desde essa altura.....a pessoa por quem me tinha apaixonado já não era a mesma.....ainda assim resolvemos tentar ter um bèbè....não correu bem.....porque descobri que tinha um tumor no útero....o meu bèbé não sobreviveu!! ainda assim e com conselhos ´médicos para não tentar,resolvi partir para outra tentativa.....fui bastante vigiada,e felizmente a minha menina nasceu bem,ainda que antes do tempo.Removi o útero passado 1 mês do nascimento.Quando tudo parecia ultrapassado e já estando de volta á minha rotina começaram os maus tratos por parte do meu marido....de volta a casa ainda a recuperar de uma cirurgia comecei a ser posta de parte...sem ajuda absolutamente nenhuma da parte dele....e com um bébé para tratar,cheguei a ser violentamente agredida por simplesmente não ouvir o telemovel tocar....recomecei a trabalhar....e as agressões não paravam...quer fisica como verbalmente......a minha auto estima não podia estar pior!!! sentia-me a pessoa mais baixa ao cimo da terra.....uma mãe sem o merecer ser....enfim....até ao dia em que resolvi virar tudo.....DE REPENTE....sem pensar.....saí de casa com a minha menina e voltei para casa dos meus pais....uma casa velhinha mas onde ninguem me podia fazer mal(eu sentia isso),mas a minha auto estima continuava em baixo.....um dia passei por um ginasio e resolvi entrar e informar-me acerca das atividades,inscrevi-me e passado algumas semanas comecei a sentir-me tão bem.....comecei a praticar desporto....corrida...e cada vez me sentia melhor....arranjei novos amigos e hoje continuo no ginasio que considero a minha segunda casa,vou a maratonas....ganho alguns prémios e melhor dos melhores.....sou outra pessoa sem duvida.....a minha filha tem hoje 14 anos e já lhe transmiti o 'bichinho' das corridas.....mudei de emprego....trabalho numa fabrica que melhorou a minha vida tambem......mas sem duvida que tenho traços no meu rosto de tanto ter chorado e sofrido e sem nunca ter tido oportunidade de melhorar......no entanto consigo ser feliz.......

  • As minhas  rugas contam a minha história!

    As minhas rugas contam a minha história!

    Vera Lúcia Fernandes Gomes, 37 anos

    Nasci no campo, cresci no meio das searas de trigo, das vinhas de parra verde esperança, e dos animais soltos e felizes, criança livre e sorridente desde cedo, aprendi a lêr e a escrever com uma avó costureira, de cara larga e rugas marcadas, rosto fechado, a dureza de uma vida mas a sabedoria de que para viver há que saber nunca desistir.
    Do campo para a cidade, de criança a mulher, muitas foram as tardes de brincadeira, e os dias cheios de nada, muitos foram os amores em que acreditei e aqueles poucos mas intensos que vivi, e vieram as lágrimas de dor própria de quem cresce e sonha menos, e muitos os sorrisos de quem um dia encontra mais motivos para sorrir.
    As minhas rugas marcaram o meu rosto e a minha vida, contam a história de uma menina cheia de vida, é uma mulher que todos os dias acredita que ainda existe muito para viver, as minhas rugas são só o início de novos caminhos entre o campo e a cidade, entre os dias cinzentos e o verde esperança.

  • Mulheres felizes brilham mais ..

    Eduarda Maria Pereira Cancela , 47 anos

    Adoro ser mulher ,mãe, esposa..adoro viver gosto de me mimar sou vaidosa. Adoro viver as minhas rugas são o espelho de mim mesma e falam por mim ...gosto de mim ...mulheres felizes brilham mais..n

  • as minhas rugas

    Isabel Robalinho Silva , 54 anos

    Tenho que confessar que tenho uma relação muito pessoal e íntima com as minhas rugas. São, para mim conquistas que tive diariamente ao longo dos anos. São as minhas marcas de uma vida vivida os altos e baixos de uma vivência intensa.... Amo a vida adoro viver e como tal tenho as impressões visuais disso mesmo. Poderia citar situações como o dia do meu casamento, o nascimento dos meus três filhos o meu divórcio após 25anos e por aí fora contudo a minha vida tem sido muito mais do que isso.... Tem sido um renascer todos os dias...... Um renascer para a VIDA.

  • Rugas de sabedoria...porque saber envelhecer é uma arte!

    Rugas de sabedoria...porque saber envelhecer é uma arte!

    Azená Sueza, 43 anos

    Chamo-me Azená Sueza, tenho 42 anos, luso-brasileira, residente em Portugal há 13 anos, Mae da Juliana Laís e da Sofia Coelho, as minhas duas artistas da fotografia juntamente com esta que vos fala. Costumo dizer que as minhas rugas nasceram aqui, em terras de Cabral. Mas, nem tudo é mal. Tive momentos muito tristes na minha vida antes destas duas beldades nascerem. Eu tive dois rapazes. Um chamava-se Kalebe que morreu com 26horas de nascido e o outro Samuel que também morreu com 3 dias de nascido. Deus não quis que eu viesse ao mundo para ser mãe de meninos, devolvendo assim os dois em forma de meninas. Hoje, quando me olho no espelho, e vejo as marcas que está dor deixou, ao invés de chorar, sinto-me privilegiada do meu ventre ter sido hospedagem para dois anjos, e de poder sorrir e usufruir de todos os meus sonhos de bailarina, modelo, fotografia e muitos outros talentos que as minhas duas filhotas tem. E ao meu ver, o tempo vai passando... e ao invés de rugas, ele vai adicionando (ainda mais) beleza em nós.

  • A história da minha 1a ruga

    A história da minha 1a ruga

    Maria Tavares, 41 anos

    Não sou perfeita nem quero ser, no rosto mostro as rugas do meu viver, mas tenho um segredo que vou partilhar, a história da 1a ruga vou contar:
    Fui com o meu pai ao Centro Comercial, mas ele é tão impaciente que até estranhei ele aceitar ir comigo, uma vez que detesta e nem paciência tem para ir às compras... Ora então, quando chegamos ao Centro Comercial, decidi ir ao Hipermercado buscar um chocolate que me estava a apetecer e o meu pai, disse que não lhe apetecia ir que ia sentar-se num daqueles sofás que estão distribuídos pelos Shoppings... Ora o combinado foi ele não sair dali até eu voltar caso contrário perdiamo-nos... Ora ele disse ok, que esperava ali e tal e eu lá fui buscar o chocolate, mas na hora de pagar as caixas estavam muito cheias, e tive de esperar um bocado ainda... Ora não tinha como avisar o meu pai porque ele naquele dia para piorar a situação tinha-se esquecido o telemóvel no escritório onde trabalha. Já imaginam a cena não já? Esperei, paguei e vim ao encontro do meu pai, e ele? Fartou-se de esperar e já não estava no sítio combinado tinha ido ao Hipermercado à minha procura... Perdemo-nos um do outro e para piorar não tinha forma de o contactar, e portanto não me restou a alternativa de o ter de ir chamar ao balcão de informações... Que vergonha que tive... Pois já imaginam, em vez de ser como acontece geralmente os pais é que vão pedir para chamar os filhos, no meu caso foi ao contrário.. E porquê? Porque o meu pai é tão impaciente que não soube esperar!
    Agora tem alguma piada, mas na altura fiquei tão preocupada que foi assim que nasceu a minha 1a ruga! É freima pela família!

  • O coração não tem rugas

    Maria Manuel Verdade dos Santos Ferreira

    Em pequena sonhava ser escritora. Isolava-me o mais que pudesse, encaixava o livro por cima do gato obrigando-o a permanecer imóvel e fazia-lhe festas enquanto lia. O meu melhor amigo trazia-me bichos da seda e gafanhotos numa lata de caramelos e levava-me ao lago para apanhar rãs e para mastigar os o caule das ervas compridas que por lá cresciam. Eu invejava-lhe as sardas' o aparelho que usva nos dentes e os óculos de massa escura. Tornei-me mulher, fui mãe de dois rapazes gémeos muito permaturos. Não escolhi nomes com entoação similar' não os vestia de igual para respeitar a sua individualidade, não conseguia manter-me calma, não aceitava as minhas limitações, não descansava nem me alimentava convenientemente e não conseguia esqueçer-me de 'como era antes'. Quando os meninos fizeram três meses de vida eu tinha menos vinte kilos. Dezoito anos depois, sinto que cumpri a minha maior missão. Tenho rugas no rosto mas não no coração. Envelheço sem nunca perder a esperança de ser uma velhota sardenta !

  • Mapas da vida

    Ana Ribeiro, 53 anos

    Sou a Ana tenho 52 anos e as minhas rugas revelam os mapas da minha vida, fazem parte de mim como uma estrada.Lembram-me os meus filhos, o que passei para os criar, o meu casamento, a minha luta contra a depressão, os meus estudos, a minha vida. As rugas dos lábios tenho-as por encarar sempre tudo com um sorriso no lábios mesmo que às vezes esse sorriso seja triste. As rugas dos olhos são fruto do meu olhar para os meus filhos, das minhas lágrimas por muitas vezes os ver sofrer e nada poder fazer ,porque sei que certas etapas tem mesmo que ser vividas e trilhadas por eles, restando a mim chorar.. As rugas da minha testa vem daquilo que penso e sinto intimamente, Todas elas fazem parte de um pequeno momento, de um percurso e me tornam quem sou, sem máscaras nem fingimentos, As minhas rugas...sou eu.São o mapa da minha vida.

  • As minhas rugas contam....

    As minhas rugas contam....

    Paula Rodrigues, 51 anos

    Que ainda estão no início da sua vida. Razões? Apesar dos meus cinquenta anos, tive a ' sorte' de ter acne que foi vencido depois de anos de luta. Outra das razões é a sorte de ter uma família feliz e unida. Uma outra razão, esta digo por brincadeira, é que trabalho numa escola do interior, onde no inverno é normal andarmos na rua com 0 graus, o que ajuda a pele a ter lifting instantâneo, por fim e muito importante é que desde muito nova que uso cremes e a l,'oreal tem - me ajudado nesta caminhada. Tem excelentes produtos inovadores a preços acessíveis e que resultam. Obrigada pela ajuda a manter as minhas rugas pequeninas :)

  • encarar a vida com um sorriso...

    fernanda pedro, 47 anos

    sou Carteira de profissao ,o meu dia começa as 6h da manha ,começo a distribuiçao de correio as 10h,quando toco as campainhas começo com um bom dia e um sorriso, e e este sorriso que eu tenho para dar as outras pessoas.,atençao,um pouco de conversa e a minha amizade...muitas xx me dizem...esta sempre bem disposta!!!...eu respondo...se vamos ter rugas ...que seja de tanto sorrir!!!!

  • rugas

    MARIA MANUELA COSTA, 50 anos

    as rugas e uma coisa que incomoda com o passar do tempos gostaria de experimentar esse creme

  • A história das minhas rugas (vida)

    Vitória Ribeiro Barroso, 54 anos

    As rugas da minha pele contam a história da minha vida, como se a minha pele fosse a página escrita de um texto e cada ruga uma linha. Nestas linhas (rugas) estão escritas as alegrias, as tristezas, a doença, a ansiedade, o medo... a vida que eu vivo.
    As linhas (rugas) contam as alegrias que vivo no seio da minha família, amigos, colegas de profissão e alunos, contam as tristezas que vivi e vivo com o divórcio e com a perda das pessoas queridas, contam a doença, o tratamento e a cura... contam o passado, o presente e o futuro.

  • Incondicionalmente Mulher

    Incondicionalmente Mulher

    margarida sequeira, 59 anos

    Aos vinte e seis anos conheci o grande papel da minha vida,fui mae!Vivia com o meu namorado numa relaçao que eu queria construir todos os dias para manter a vida toda com amor!Tudo começou a ficar sombrio...!Eu era professora e dividia o meu tempo entre o meu filho e o trabalho.O meu companheiro nao trabalhava nem mostrava interesse nisso.Tive mais tres filhos,sempre trabalhando e sem apoio daquele que ja tinha sugado toda a minha energia,paciencia e dinheiro, mas nunca foi afinal um companheiro ou sequer um pai!Deixei a situaçao depois de muitos maus tratos,inclusive violencia psicologica e fisica!Os meus filhos eram o grande suporte e a melhor razao para eu recuperar a minha vida,por eles continuei!Sozinha,sem apoios e sem ajuda continuei a trabalhar a educa-los e a viver!Fiz teatro dediquei-me a dança,subi na carreira profissional,dediquei o meu tempo e Amor aos meus filhos!Nao foi uma vida facil mas eu resisti,lutei sobrevivi e amei tudo o que me fazia feliz!Sou uma mae orgulhosa!Agora faço pintura e continuo com a mesma força e paixao pela vida...Viver e isto passar as lutas,estar com paixao na vida as rugas sao a historia das nossas batalhas e das nossas mais profundas emoçoes.Mostram a força e o carater de uma Mulher!

    Margarida Sequeira

  • Com surpresa

    Com surpresa

    Vanda Isabel Ferreira Pinto, 43 anos

    Foi quase com surpresa que me dei conta... há 5 anos, com 37 e acabada a segunda volta com o nascimento da Maria, que me apercebi que tinham vindo para ficar! No primeiro regresso ao cabeleireiro esperando domar o que as hormonas tinham deixado, fiquei muito tempo a fazer caretas ao espelho numa última tentativa de dissipar aquele primeiro estrago na testa! Fiquei em choque... mesmo! Voltei para casa... para o espelho! Inconsolável
    Como em tudo na vida restou aceitar!
    Depois os olhos, até quando as noites já não são assim tão mal dormidas... por fim a boca... valha-me o os segredos do João, quando me beija: -'Estás mais bonita que nunca!'

  • As minhas cicatrizes de batalhas vencidas

    Joaquina mendes charréu frade

    Sou a Mendes, tenho 45 anos, embora a minha cara mostre ter mais idade...já sofri obesidade (98,5 kg). Perdi 44,5 kg em oito meses, quando tinha 23 anos. Digamos que perdi a minha infância, pois desde os 12 anos que ganhei peso em pouco tempo devido a uma doença no fígado e maus tratos . Escondia-me atrás de roupa largas e comia para compensar...comecei a trabalhar quando tinha apenas 12 anos. Aos 23 , a minha vida deu uma volta inesperada. Ganhei auto estima , comecei a estudar durante a noite e a trabalhar durante o dia. Nesse mesmo ano, prometi a mim mesma, mudar o meu aspecto físico. Foi aí que comecei a fazer dieta e muita ginástica. Em oito meses tinha perdido todo o 'lastre' que me atormentou a minha infância e adolescência. Passei por muito nessas duas fases da minha vida. Desde desprezo por membros da família até o motivo de gozo para alguns 'garotos' da minha idade...Depois da batalha contra a obesidade, casei. mal pensava eu que seria uma nova batalha..contra a violência doméstica...passei muito mal na fase do casamento, inclusive fome e maus tratos verbais. Ganhei força e desde há 4 anos que sou uma mulher livre. Toda a minha história de vida está na minha cara. Sobretudo na zona dos olhos (tristes). Vivo na esperança de algum dia poder fazer uma cirurgia plástica ao redor dos olhos. Entretanto vou colocando uns cremes que, como se pode ver, não dão o resultado esperado.

  • As rugas da vida... grata a elas!

    As rugas da vida... grata a elas!

    Anabela Pires, 48 anos

    Quando me olho ao espelho e vejo as minhas rugas, sorrio, são elas as marcas da minha vida, de alegrias de tristezas, de momentos que já passarm e não voltam mais. Estão no passado. Cada uma delas tem uma história. Sabem tenho uma amiga que não as aceita, para mim não aceitar o processo natural da vida é rejeitar o que somos. Ela pergunta-me muitas vezes porque não ponho botox e eu digo, não pois fazem parte de nós. E aceito-me como sou. O meu sorriso rasgado tem provocado esses sucalcos no rosto que fazem de mim uma mulher ainda mais expressiva e é tão bom... é saber que cheguei aos 48 anos com muitas vivências.. por isso grata às rugas sem elas não seria quem sou!

  • Minhas rugas mateus

    Zilma morais, 49 anos

    Tenho 49 anos meu sonho e realizar uma grande tratamento en meu rosto desde que meu neto nasceu minhas rugas apareceram e ficou cada dia vejos mais fico triste pq tou solteira e queria muito sair para dar uma volta com as amigas mas fico com vergonha elas sao tao bonitas entao gostaria de ter um dia de princesa

  • Minha filha seu mundo

    Anabela Fialho Pessoa, 41 anos

    Entre as minhas leituras de blogs, não resisto em espreitar aqueles todos pipis, com lacinhos, folhinhos, rosa e azuis, mums look, babylook...gostava de uma vida assim 'cor-de-rosa', cheia de lacinhos e floridos, cheia de style e dicas xpto.
    Mas não, calhou-me em (des) sorte, outro caminho...
    Faz 5 anos que algo entrou porta a dentro, não tocou à campainha, não pediu licença, não se fez rogado, não se fez avisar...entrou como se esta sempre tivesse sido sempre a sua casa.
    Existem mil e uma fatalidade, dez mil e um problemas, não quero nem por sombras comparar a minha a qualquer outra, esta é simplesmente a minha!
    O autismo entrou na minha vida roubou-me conquistas, roubou-me a minha vida, obrigou-me a escolher, a escolher coisas que não queria escolher e viver, obrigou-me a pensar em coisas que não queria pensar.
    Trocaria a minha filha por outra? Não claro que não! Amo-a a ela acima de todas as coisas, mas claro queria a minha Maria 'sonhada' .
    Para mim o autismo nunca vai ser uma mais-valia nunca me vou considerar como dizem a Mãe escolhida para a acompanhar por ter mais força ou menos força que outra Mãe qualquer, pois qualquer Mãe que seja Mãe, quando recebe um qualquer diagnóstico vira o mundo do avesso e se nada consegue revira e torna a virar.
    Mas as Mães não são de ferro, eu não sou de ferro, não me chega este corre, corre de todos os dias, que tantos kms me faz correr e sem me levar a lado nenhum e aí a Mãe quebrou e só me dizem ' Mas a Mãe não pode quebrar! '
    Mas a mãe não teve escolha, a vida escolheu por ela. Se a Mãe escolhesse sentir-se realizada a outros níveis a Maria, não poderia ir à Terapia Ocupacional, Terapia da Fala, Musicoterapia, Hipoterapia, por isso entre as prioridades de um filho e as nossas o que prevalece? Claro, que um bem do filho acima de tudo!
    E resta esperar, esperar que um dia a Mãe se possa lembrar dela e que permitam que alguém ainda a ache capaz de fazer outro papel na vida além do de Mãe.
    Só queria acordar um dia e poder ter preocupações de uma 'Mãe normal' .
    Não deitar e acordar a pensar no que será o TEU amanhã, no que posso fazer mais para o teu amanhã não ser dependente do meu...
    Quero um dia uma vida de folhinhos e lacinhos, looks e viagens, quero conhecer o mundo com o teu pai, quero dar a conhecer o mundo aos teus irmãos e a ti minha princesa, mas sem o peso que carrego as costas que o TEU mundo depende do meu.

  • As minhas rugas são a minha escrita

    Angela Brandão, 56 anos

    Algumas das minhas rugas têm a forma de pontos de exclamação pela extraordinária experiência que é estar viva!
    Ao redor dos olhos tenho aspas por tanto me maravilhar com o Mundo e tudo o que ele nos oferece.
    Na boca,, oh que orgulho, na boca tenho parentesis que traduzem o quanto beijei, o quanto sorri, o muito que ri até às lágrimas.

    Das vírgulas e cedilhas na minha testa prefiro não falar, pois marcam as vezes em que duvidei, não confiei e pus em causa, hesitei e
    recuei.

    Espero ter ainda muito tempo pela frente para continuar a acentuar esta escrita que é a VIDA..

  • As minhas rugas são os desenhos da minha vida

    As minhas rugas são os desenhos da minha vida

    Ana Teresa Martins Dolor Ferreira Matos, 47 anos

    As minhas rugas são a minha história, os rabiscos da minha vida. São de expressão, do riso fácil, de lágrimas perdidas... dos momentos bons e dos menos bons, daqueles em que as lágrimas escorreram pelo rosto sem medos. São do franzir quando as contrações apertaram para dar lugar às rugas de choro de felicidade do nascimento do meu filho, do franzir quando agora já adolescente precisa de palavras mais sérias. São rugas de choro de quem se emociona facilmente a ver um filme, a ler uma história de vida. São rugas de pensar mais nos outros do que em mim. São rugas de momentos que não queremos passar novamente... mas a maioria das minhas rugas são de rir com vontade, de momentos tão felizes que queremos que se repitam todos os dias mesmo que nos façam rugas...pois são elas que contam a minha história!

  • As minhas rugas são as tuas cicatrizes, meu amor!

    As minhas rugas são as tuas cicatrizes, meu amor!

    Joana Campos, 36 anos

    As minhas rugas são as tuas cicatrizes, meu amor! São o meu sorriso rasgado com a noticia de uma gravidez tão desejada, são as expectativas criadas à volta do nascimento de uma princesa a quem chamei Maria, são o suor de um parto difícil, são as lágrimas da primeira ida ao bloco operatório, são as noites mal dormidas num cadeirão de um internamento frio, são a felicidade de te trazer para casa ao fim de 2 meses, são as corridas ao hospital, são o estoirar dos balões nas tuas festas de aniversário festejadas com a felicidade de quem sobreviveu a mais um ano de anestesias e batas brancas, são o brilho dos teus olhos quando me dizes que me amas até à lua. As minhas rugas são as tuas cicatrizes meu amor!

  • As minhas rugas contam pedaços de mim…

    As minhas rugas contam pedaços de mim…

    Isabel Magalhães, 49 anos

    São as cores que dão vida ao meu rosto, são aquela humanidade da qual eu não me afasto, são a expressividade tão caraterística em mim.
    Rugas de sorrir, de chorar, de pensar e de cismar… Rugas de cansaço, de doença, de preocupação e de sofrimento… Rugas de alegria, de satisfação, de amor e de prazer…
    São rugas com história e cada uma tem a sua.
    Conto a história de algumas, outras, o tempo apagou-as da memória e só ficaram as marcas, as tais rugas… que contam, elas sim, pedaços de mim!

  • Rugas minhas

    Suzana Paula Ereio Vizela , 52 anos

    Tenho 52 anos e como devem calcular não é fácil contar a história das minhas rugas . O que são rugas afinal? Sinais do tempo ....sinais da vida ?
    Não sei mas gosto das minhas , vejo-as como tempo passado e isso quer dizer que estou cá, que estou viva!!!
    Não tenho muitas rugas , as que tenho não são evidentes mas quero que se notem.
    Quero rir e ver as linhas da felicidade na minha cara , na minha expressão.
    Mas confesso aqui que sempre de uma maneira muito simples tratei da minha pele , sempre a limpei, sempre a hidratei e isso faz efeito por fora mas ainda mais por dentro . MIMO-ME !!!!
    Uma historia simples, curta mas a minha como a história das minhas rugas!!

  • As rugas que os olhos não vêem..

    As rugas que os olhos não vêem..

    Fabiana Menezes, 38 anos

    Muitas vezes, as rugas que mais nos marcam não são aquelas visíveis a olho nú. Estás, podem estar presentes como cicatrizes na nossa alma e nossos corações. Sei que já tenho muitas. Mas as que mais me encomodam são estas que evidenciam meu olhar distante como se estivesse em busca de algo. O que, na verdade, estou! Nem sempre nossas rugas diz respeito aos momentos de uma trajetória de vida ou realizações conquistadas, surpresas boas inesperadas.. As, vezes, ela tem conexão com o fator dor, ausência, saudade.. o que ficou lá atrás ou o que queremos resgatar. É assim que eu defino as rugas de expressão que, no meu caso, são aquelas que permanecem rijas e talvez progressivas pela dor da saudade e dá falta que tenho dos meus filhos..minha vida!

  • Para sempre

    Susana rosalis, 45 anos

    As minhas rugas... ora... essas... têm crescido comigo... cada passo, cada tombo, cada aprendizagem, todos os dias mais um pouco, mais uma ou mais um bocadinho...
    Têm sido tantos os momentos de tristeza e choro que depressa tento transformar em alegria. Não me importo com elas, importo-me sim em viver, em aprender e em crescer, mesmo que ao olhar-me ao espelho descubra uma nova ou uma maior ou mais profunda. Todas elas terão sempre um motivo e uma história para contar, tal como eu. Histórias tristes ou alegres que também irão provocar rugas noutros rostos. Serão sempre sinal de quem viveu, de quem está vivo e que terá sempre uma história pra contar. Serão na certa a coisa mais fiel que nos acompanhará para sempre... até ao fim da nossa história...

  • As minhas rugas são para sempre.

    Sandra Cristina Almeida Matos, 26 anos

    As minhas rugas caminharão comigo, pois elas marcam todas as minhas expressões é reflexos faciais. Tenho rugas de tanto sorrir e rugas de tanto chorar, como também tenho rugas por apanhar aquele rico sol, naquele dia de verão.
    Tenho rugas, e são elas que caracterizam a mim e a vida que tenho vivido. Caracterizam o meu sorriso alegre e contagiante, com aquele traço nas faces e na testa. Estás rugas também caracterizam a minha tristeza, as lágrimas que pelo meu rosto caíram, quando perdi o meu pai, o herói da minha vida. Percebi, a partir daquele momento que teria de viver e sobreviver neste mundo cruel. Percebi que a vida não é fácil, que batalhar todos os dias é difícil. São rugas da vida. São rugas que me caracterizam. Hoje, já tenho mais rugas, mais rugas de alegria misturadas com preocupação é apertos no coração, sabem que rugas são essas? São rugas de mãe. Sou mãe de um lindo menino, mas as preocupações são a dobrar, e as traquinices dele, essas sim preenchem o meu rosto com algum nervosismo e, às vezes zangado. Ora porque se porta mal, ora porque não arruma os brinquedos... E sempre uma algazarra! Mas já lhe avisei: meu amor não faças birras, porque ficas de tal maneira, que isso só te provocará rugas nessa pele linda e sedosa!
    As rugas são as nossas rugas, são os nossos momentos, são as nossas tristezas, as nossas alegrias, as nossas aventuras, são as nossas linhas traçadas com os nossos reflexos. E são nossas. Há que ama las . Há que cuidar delas com LOréal revitalift.
    As minhas rugas são para sempre, mas agora cuido delas dia e noite.
    Cuide de si, cuide da sua pele. Ela é o seu reflexo, por isso ame a hoje é sempre, porque essas rugas no seu rosto são para sempre!

  • Rugas que valem a pena!

    Maria Núncio, 48 anos

    As minhas rugas são a minha história, são o meu “Era uma vez…”: Era uma vez um amor que, por ser para sempre, durou apenas um verão… Era uma vez um amor que, não se reclamando eterno, sabe envelhecer de mão dada… Era uma vez um riso que escorria pelos lábios, como uma melancia doce nas tardes quentes… Era uma vez uma lágrima que, calada, traçou o caminho de um adeus…
    As minhas rugas são o meu tempo: o tempo do que fui, o tempo do que sou e o tempo do tanto que ainda quero ser. E, nesses tempos, as rugas são os abraços e os sorrisos, são os medos e as forças. E nesses tempos, as rugas são as chegadas e as partidas, são os “aqui estou” e os “até sempre”. E, nesses tempos, as rugas são a vida!

  • 50

    Natércia Rocha

    O livro das minhas rugas levou 50 anos a ser escrito. Cada uma delas é um capítulo desta obra ainda inacabada.Cada sulco, maior ou menor, foi uma lágrima vertida,um sorriso malandro, uma noite sem dormir à cabeceira do filho doente. Ler a sina na palma da mão já não é o que era. O meu rosto é o melhor contador de histórias passadas,presentes e quem sabe, futuras. Quando fiz 50 anos ,apenas pensei nas montanhas que ainda nâo escalei, nos livros que não li e nos sítios que não conheço. As rugas essas estão lá e continuarão, com o orgulho de alguém que pode ser lida com a ponta dos dedos.

  • Rugas são histórias da minha vida

    Rugas são histórias da minha vida

    Claudia Pola, 48 anos

    Rugas são histórias da minha vida, quando vejo no espelho o reflexo dos bons e maus momentos, mas procuro lembrar dos bons, muitas histórias e muitas alegrias , surgem as rugas e as rugas são as emoções,. E a vida é feita de muitas emoções e nossas rugas define nossa história

  • As minhas Rugas

    Vera Mónica Oliveira Silva, 36 anos

    As minhas rugas contam a mais bela história duma infância feliz, duma adolescência problemática e de uma vida adulta regada pela felicidade de ter a família que escolhi.
    As minhas rugas contas as noitadas loucas que fiz, os cigarros que fumei e o riso que há constantemente em mim.
    As minhas rugas gritam quando não limpo a cara à noite ou quando não durmo para embalar a minha bebé chorosa.
    As minhas rugas sobressaem quando estou mais feliz, pelo riso, como se quisessem fazer parte da festa.
    As minhas rugas conseguem falar com as expressões que faço e que me definem tão bem.
    As minhas rugas e eu vivemos uma relação pacífica de bem com o mundo sem medos de mostar a relação que temos.

  • Na testa e ao redor dos olhos

    Na testa e ao redor dos olhos

    Sara Branco, 38 anos

    Tenho miopia acho que desde sempre. Descobri que via mal quando entrei para a escola, e no primeiro dia em que fui de óculos, descobri que existiam formigas e passei a hora do intervalo maravilhada a observá-las. Sempre me lembro de ver mal, e apesar da correcção, quem como eu tem muitas dioptrias, nunca fica a ver 100% bem. Acho que por isso, ganhei cedo um hábito péssimo que me acentua imenso as rugas, o de encolher os olhos e engelhar a testa quando estou concentrada achando que isso me vai fazer ver melhor. Faço isso ao computador, horas a fio, faço isso a conduzir, a cozinhar, a escrever.. é raro não ter a expressão facial carregada de rugas e associo-as sempre á minha história de vida, como a menina que só aos 6 anos descobriu que existiam formigas.

  • As minhas rugas são as melhores!!

    Joana Martins, 35 anos

    As minhas rugas são de tudo o que foi vivido até agora. De todas as tristezas e alegrias enfrentadas. São minhas, e tenho orgulho em as ter. Algumas delas foram de muito chorar quando a morte do meu pai, e uma delas igual a que ele fazia quando estava mais sisudo. As de rir, essas são porque sou uma pessoa alegre, que tenta ultrapassar tudo com uma gargalhada, e com as 'asneiras' engraçadas da minha filha, por isso digo que as rugas apesar de tudo tem uma história importante na nossa vida.

  • Rugas são lições de vida

    Rugas são lições de vida

    Catarina Silva Pereira, 35 anos

    Para mim, rugas têm vida, são lições de vida, histórias contadas e momentos vividos. Vejo-as como parte de mim. Muitas são de expressões, de sorrisos, de tristezas vividas, de momentos marcantes. Levam-me às memórias...as boas e as más. Fazem lembrar-me a minha irmã, a nossa alegria, as brincadeiras, as mesmas expressões....tão bom!

  • Rugas nascem dos maiores sorrisos

    Rugas nascem dos maiores sorrisos

    Eugenia Queiros, 43 anos

    Sorrisos são o melhor que a vida nos dá. Multiplicam-se a cada instante de felicidade e uma curva e linha nasce para vincar estes momentosas felizes.
    Um sorriso vale mais que mil palavras e entre vários sorrisos uma linha, uma ruga será apenas o registo que jamais se apagará e sempre recordará aquele instante. Vamos sorrir até à última ruga!!

  • São rugas de amor

    São rugas de amor

    Cátia Dias, 36 anos

    Estas rugas estão intimamente ligadas à minha filha Maria Luísa que tem 2 anos e meio.
    Eu acho que desde que fui mãe as rugas “quadriplicaram”… Mas não deixam de ser umas rugas de amor.

  • As nossas rugas são uma parte fundamental daquilo que somos

    As nossas rugas são uma parte fundamental daquilo que somos

    Catarina Beato, 38 anos

    São rugas que me remetem de imediato para o meu pai…
    Uma expressão que herdei eu e agora herdou a minha filha.
    As nossas rugas são uma parte fundamental daquilo que somos e da história que nos fez.

  • Rugas não só de felicidade como de nervosismo

    Rugas não só de felicidade como de nervosismo

    Ana Lemos, 42 anos

    Nós estávamos a treinar a valsa mas o meu pai não acertava nos passos.
    Eu estava nervosa porque achava que aquilo não ia correr bem.
    Mas ao mesmo tempo diverti-me imenso com ele.
    Foram episódios e umas tardes muito giras.
    Associo muito o meu casamento a estas rugas e ao meu pai… e aos momentos felizes que tive com ele.