Comprometemo-nos com o bem-estar animal​

A L'Oréal não testa nenhum dos seus produtos ou ingredientes em animais e tem sido pioneira em métodos alternativos nos últimos 30 anos.
A saúde e segurança dos consumidores sempre foi uma prioridade fulcral do grupo, assim como a defesa do bem-estar dos animais.

A L'Oréal realiza uma avaliação muito rigorosa da segurança dos seus produtos.

Muito antes da questão do bem-estar animal ter sido levantada pela sociedade, a L'Oréal desenvolveu métodos alternativos baseados numa tecnologia única na época: a reconstrução de pele humana, seguida da córnea e outras mucosas. Uma verdadeira pioneira, a L'Oréal tem vindo a reconstruir modelos de pele humana em laboratórios desde 1979. Em 1989 deixou de testar os seus produtos em animais, cerca de 14 anos antes da regulação o proibir. Desde 2013 que a L'Oréal deixou de testar os seus ingredientes em animais.

F.A.Q.

QUESTÃO
1

A L'Oréal testa os seus produtos em animais?​

A L'oréal não testa nenhum dos seus produtos ou ingredientes em animais e têm estado na vanguarda dos métodos alternativos há mais de 30 anos.
QUESTÃO
2

Que métodos alternativos é que a L'Oréal desenvolveu?​

Desde 1979 que a L'Oréal tem vindo a reconstruir modelos de pele humana em laboratórios para elaborar testes de segurança in vitro que não envolvem animais. O grupo ficou assim na vanguarda da elaboração de métodos alternativos de avaliação da segurança. Desde então, a L'Oréal abriu o centroi episkin* em Lyon (França) e em Xangai (China), onde é produzida pele reconstruída. Além dos modelos de pele reconstruída, a L'Oréal possui um grande conjunto de ferramentas como parte de sua avaliação que sem recurso a animais, como modelos moleculares, sistemas de toxicologia especializados, técnicas de imagem e muito mais.
QUESTÃO
3

Se não testa em animais, porque é que a L'Oréal continua a aparecer na lista da peta de empresas que testam?​

A L'Oréal não testa nenhum produto ou nenhum dos seus ingredientes em animais. No entanto, como os nossos produtos são vendidos na china, a L'Oréal ainda figura na lista peta. Na china, as autoridades de saúde ainda exigem a realização de testes em animais para determinados produtos.
QUESTÃO
4

Então porque é que continuam presentes na china?​

Ao estar presente na china, a L'Oréal pode permitir que a regulamentação evolua. A L'Oréal é a empresa mais ativa junto das autoridades chinesas para a eliminação total dos testes em animais. Como resultado, a grande maioria dos produtos que vendemos na china já não são testados em animais.
QUESTÃO
5

Que ações têm sido implementadas pela L'oréal para acabar com os testes em animais na China?​

A L'Oréal comprometeu-se a trabalhar ao lado das autoridades e dos cientistas chineses há mais de 10 anos no reconhecimento de métodos alternativos que permitem a evolução da regulamentação dos cosméticos para uma eliminação total e definitiva dos testes em animais. Assim, hoje os produtos fabricados e vendidos na china chamados de "não funcionais", como shampoo, gel de duche ou maquilhagem já não são testados em animais. Abrimos um centro episkin* em Xangai em 2014, o que nos permite produzir pele reconstruída. Esta pele é usada para testes de segurança in vitro que não envolvem animais e estão disponíveis para as autoridades chinesas.

*Episkin é um modelo de pele humana reconstruída

A L'Oréal não testa nenhum de seus produtos ou ingredientes em animais e está na vanguarda dos métodos alternativos.

No entanto, certas autoridades de saúde podem decidir realizar por inicitaiva própria testes em animais para certos produtos cosméticos, como ainda é o caso da China. A L'Oréal tem sido a empresa mais ativa no trabalho com as autoridades e cientistas chineses nos últimos 10 anos, a fim de desenvolverem métodos de teste alternativos para que a regulamentação cosmética evolua para uma eliminação total e definitiva dos testes em animais.

Desde 2015, a maioria dos nossos produtos fabricados e vendidos na China, como todos os nossos cuidados de pele não funcionais (sem qualquer atividade biológica), não são mais testados em animais.

Desde a década de 1980, a L'Oréal acredita que o futuro da avaliação da segurança dos seus produtos depende do desenvolvimento de estratégias alternativas para eliminar os testes em animais. Esta abordagem foi construída graças ao substancial progresso científico feito nas áreas de modelos de pele humana reconstruída, modelagem molecular e processamento de dados de alto desempenho. Já passaram vinte e sete anos desde que nossos melhores cientistas especialistas criaram a primeira epiderme humana reconstruída: uma revolução internacional! Isso significava que os testes em animais podiam ser interrompidos logo em 1989, 14 anos antes de ser legalmente exigido e sem tornar nossos produtos menos seguros.
Mostra os esforços e experiência dos nossos laboratórios e alimenta as nossas inovações.

A engenharia de tecidos diz respeito à produção de tecido humano reconstruído, como membranas mucosas da pele ou córnea. A L'Oréal usa esta técnica avançada para testar os efeitos de novas moléculas e prever cientificamente os seus efeitos benéficos (filtrar os raios solares, combater o envelhecimento da pele, etc.) ou efeitos prejudiciais (irritações, alergias, distúrbios no sistema hormonal, etc.) . Existem vários modelos de pele reconstruída. Estes podem ser usados para testar moléculas de ingredientes ativos, isoladamente ou associando-os. A L'Oréal usa estes modelos para entender como as moléculas vão reagir em certas peles e, assim, prever a sua eficácia mesmo antes das moléculas serem integradas na fórmula final de um produto cosmético