Filtrar

Facebook - Siga-nos

social facebook

REVITALIFT LASER X3 - APÓS 6 MESES DE APLICAÇÃO A EFICÁCIA DUPLICA

page revitaliftlaser

Faça o seu aconselhamento de pele - Descubra o cuidado mais adequado para a sua pele - #AMAATUAPELE

quiz pele
60 + : 4 Razões para usar cremes específicos para pele madura
Cuidados de Pele
60 + : 4 Razões para usar cremes específicos para pele madura

Vale a pena usar um creme específico a partir dos 60 anos, em vez de qualquer outra linha anti-idade? A resposta é sim, pois nesta fase a pele tem necessidades muito particulares e precisa de um cuidado adaptado, que junte conforto e tratamento. Conheça as vantagens. 1. REATIVAM A ENERGIA Depois da instabilidade na menopausa, a pele estabiliza e as características que definem uma pele madura surgem no rosto: falta acentuada de hidratação, perda de densidade, de firmeza, de luminosidade e do tom rosado que associamos a uma tez jovem e saudável. As linhas antienvelhecimento focam-se em objetivos individuais (rugas, firmeza, volume) mas isso agora não chega. Faz falta uma solução intensiva que estimule a atividade celular de forma global. 2. OFERECEM NUTRIÇÃO PROFUNDA O primeiro grande problema que surge com a menopausa é o desconforto da desidratação. Devido ao abrandamento das glândulas sebáceas, há uma redução dos lípidos da pele que fragiliza a sua barreira protetora natural. Até a pele que foi oleosa toda a vida sente necessidade de cremes nutritivos, com texturas ricas. Por esta razão, nas linhas específicas para pele madura, o conforto da textura é uma prioridade. 3. FORTALECEM E REDENSIFICAM As hormonas femininas que são desativadas na menopausa estão relacionadas com a densidade e a firmeza da derme. Ao desaparecerem, a estrutura da pele enfraquece e acusa a força da gravidade: o rosto perde definição, as rugas acentuam-se, os traços descaem e o rosto adquire uma expressão triste e cansada. Os cremes para pele madura contêm ativos fortificantes que atuam em profundidade. 4. DESPERTAM A LUMINOSIDADE Outro problema da menopausa é o abrandamento da microcirculação sanguínea na pele. Em consequência, o rosto perde o tom rosado e fresco da juventude. Os cremes para maiores de 60 anos contém ingredientes revitalizantes e ativadores da circulação que combatem esta palidez e recuperam as “boas cores”. E recorrem ainda a outro truque: pigmentos refletores da luz com reflexos rosados, que iluminam delicadamente a tez mesmo sem maquilhagem. 5. ATENUAM MANCHAS CASTANHAS Uma das maiores preocupações das mulheres a partir dos 60 anos são as manchas castanhas, sinal inequívoco de envelhecimento. A culpa é do sol, mas a pigmentação também se torna naturalmente mais irregular com a idade. A inclusão de ingredientes aclaradores e reguladores da pigmentação nas fórmulas dos cremes de dia e de noite permite corrigir e travar a formação destas manchas.

  • beauty secrets,
  • pele

As nossas rugas contama nossa história - Inspire-se nas histórias da Ana Lemos, da Catarina Beato e da Cátia Dias - Conte-nos a sua

page revitalift2017

Novo - Máscaras Detox Argilas Puras - Descubra Mais

page argilaspuras
OS BENEFÍCIOS DO ÓLEO DE RÍCINO: MITOS E VERDADES
Dream Long
OS BENEFÍCIOS DO ÓLEO DE RÍCINO: MITOS E VERDADES

O óleo de rícino tem a reputação "mágica" de estimular o crescimento de cabelo. Um pouco de história egípcia. Há mais de 3000 anos, as mulheres egípcias, cujo cabelo já era um importante atributo de beleza feminina, utilizavam o óleo de rícino como tratamento de beleza para o cabelo pelas suas propriedades fortificantes. A própria Cleópatra teceu-lhe fortes elogios, que atravessaram os séculos até aos dias de hoje: em massagens, máscaras ou como tratamento leave-in, um cabelo mais forte e mais brilhante que também parece crescer mais rápido. Muitos séculos mais tarde, o óleo de rícino continua a manter a reputação de ter um maravilhoso efeito sobre o cabelo e, hoje, sabemos porquê: não é magia, é apenas um pouco de ciência! Óleo de rícino, um óleo nutritivo mas não comestível na origem de um mito A planta do óleo de rícino é comum em África e na Índia. Os seus feijões contêm um óleo que, através de um processo de prensa a frio, permite a extração de um composto específico com propriedades excecionais. Rico em ácidos gordos, não pode ser ingerido devido aos seus níveis elevados de ácido ricinoleico, que é indigestível e, inclusivamente, irritante para o intestino. Por outro lado, é um excelente ingrediente cosmético: utilizado e bem conhecido por nutrir, fortalecer e hidratar as unhas, pestanas e sobrancelhas e estimular o crescimento do cabelo. Hidrata em profundidade o couro cabeludo e nutre as fibras capilares. Utilizado na massagem ao couro cabeludo, estimula a microcirculação e, ao mesmo tempo, otimiza o acesso dos nutrientes aos bolbos, promovendo o crescimento de cada folículo capilar. O óleo de rícino é extremamente rico em ácidos gordos e contém o famoso ómega, que desempenha um papel fundamental no metabolismo capilar. Ao fornecer os elementos essenciais para o crescimento, o cabelo ganha rapidamente força, brilho, e comprimento... Embora o crescimento do cabelo, com a simples aplicação de óleo de rícino no couro cabeludo, permanecer um mito, uma vez que ainda não foi encontrada qualquer prova cientifica até ao momento, depreende-se que seja provável que a estimulação associada à massagem seja a responsável pelo efeito observado. Não obstante, a L'Oréal conduziu recentemente uma nova pesquisa que demonstra que a verdade por trás do óleo de rícino é, de facto, diferente: o óleo de rícino tem propriedades interessantes que ajudam a selar o cabelo enfraquecido e as pontas espigadas, reduzindo a necessidade de visitar o seu cabeleireiro para realizar um corte durante várias semanas, resultando num ganho em comprimento amplamente apreciado por todas as mulheres!

  • beauty secrets,
  • cabelos
OS NOSSOS MAIORES ERROS NA ROTINA CAPILAR
Dream Long
OS NOSSOS MAIORES ERROS NA ROTINA CAPILAR

O nosso cabelo é o centro de muita da nossa atenção mas cuidado... ao pensar que estamos a fazer o nosso melhor para o embelezar, pode acontecer que as nossas rotinas diárias não sejam adequadas - ou mesmo contraproducentes - ao cuidado e atenção que desejamos para o nosso cabelo. Esfregar o cabelo com uma toalha Mesmo que a fricção do couro cabeludo possa ser interessante como um modo de estimular a circulação sanguínea, o nosso cabelo tende a ficar embaraçado e a refinar... não sonharia em fazer o mesmo com uma palha-de-aço, pois não? Desembaraçar o cabelo húmido com uma escova Ao contrário do que a nossa intuição sugere, o cabelo húmido é mais elástico e frágil do que quando está seco... Portanto, desembaraçar o cabelo com a sua escova grande e com cerdas sintéticas ou naturais não é ideal, de todo... Não irá parar a deterioração da fibra interna e a consequência direta será o esticar, enfraquecer e quebrar do cabelo. Começar o styling com o cabelo húmido "cru" Pelas mesmas razões mencionadas acima, é preferível iniciar o styling do seu cabelo assim que este tenha sido secado à mão com uma toalha de microfibras suave. A evaporação da água deve ser efetuada de forma gentil e gradual de modo a que cada fibra capilar possa conservar um mínimo de hidratação, como um fator de hidratação natural. Após este início, aplicar um tratamento protetor antes do styling revela-se essencial. Contendo silicone ou óleo de coco, os produtos mais protetores formam um tipo de película impermeável em torno de cada haste capilar, o que suaviza a cutícula, repara o que for necessário e protege a fibra. Styling a seco com um ferro de alisar Sim, é mais rápido e pode eliminar a necessidade de fazer um novo styling todos os dias mas sabia que, com cada aplicação do seu ferro de alisar, o sebo protetor naturalmente presente nas suas fibras capilares acaba por se espalhar e ficar mais fino, chegando mesmo a desaparecer? Confrontada com uma temperatura de 230ºC, a fibra capilar, sem um produto protetor, a queratina - a principal proteína do cabelo - acaba por ser alterada pelo calor e o cabelo tende a quebrar mais facilmente... Sem mencionar a evaporação de toda a hidratação, que deixa o seu cabelo esticado mas desesperadamente chato e sem volume... Similar a um véu!

  • beauty secrets,
  • cabelos
OS BENEFÍCIOS DE MASSAJAR O SEU COURO CABELUDO
Dream Long
OS BENEFÍCIOS DE MASSAJAR O SEU COURO CABELUDO

Não precisamos de exaltar as conhecidas virtudes da massagem - Kobido, tailandesa, japonesa ou africana - seja para relaxar os músculos após um treino intenso, relaxar as costas após termos ajudado uns amigos nas mudanças no último fim de semana ou simplesmente para eliminar o stress derivado do nosso estilo de vida e excessos ocasionais. A escolha de técnicas e benefícios da massagem é bastante ampla. Mas sabia que a massagem ao couro cabeludo que recebe do seu cabeleireiro favorito após a lavagem não se destina apenas ao relaxamento? O couro cabeludo, uma área bem irrigada por pequenos vasos sanguíneos Tal como toda a superfície da nossa pele, o nosso couro cabeludo é irrigado por uma rede extremamente densa de pequenos vasos sanguíneos e capilares interligados. A função desta rede superficial, que irriga a derme e a hipoderme, é transportar os nutrientes necessários a cada folículo capilar para que estes sejam saudáveis e para incentivar o crescimento do cabelo. Cada unidade de produção, cada bolbo capilar, encontra-se rodeado por um vaso, formando uma enseada protetora que serve cada bolbo. Desta forma, os numerosos nutrientes e, particularmente, os aminoácidos, a partir dos quais é formada a queratina, a principal proteína do cabelo, conseguem provir diretamente da nossa nutrição para cada unidade de produção de cabelo, um órgão autónomo que se liga com outros para formar as fibras, que são um componente essencial do cabelo. Ter os folículos saudáveis e bem nutridos é essencial para manter a boa forma do nosso cabelo. Uma vez que é fundamental nutrir o nosso cabelo para a produção de queratina, uma substância essencial pela sua essência e resistência, é crucial que os vasos sanguíneos que a irrigam sejam bem "servidos" e que o sangue que transporta todos os blocos de construção do futuro cabelo esteja bem nutrido e sem qualquer carência. Mantendo o nosso cabelo saudável e protegido, também é possível estimular a circulação dentro da rede de capilares através da massagem, caso se dê um abrandamento da sua atividade. Um cabelo belo requer uma nutrição ótima desde o interior e deve beneficiar de um cuidado bem-adaptado desde o exterior. Eis o exemplo das plantas: podemos ter o melhor solo mas se não tivermos um "dedo verde" e boas técnicas de jardinagem, não iremos criar tão cedo uma floresta tropical na nossa varanda! O solo do nosso cabelo é o couro cabeludo! O jardineiro somos nós. O fluxo de sangue na rede de microvasos do couro cabeludo permite a circulação de nutrientes no seu centro e estes determinam a beleza do cabelo. Massajar o couro cabeludo ativa a microcirculação ao nível de cada bolbo capilar diretamente, ajudando a evitar a fibrose, uma espécie de estreitamento dos vasos sanguíneos e do revestimento que envolve o bolbo, para permitir uma ótima nutrição, que incentiva o crescimento do cabelo. Como massajar corretamente o couro cabeludo Não precisa de chamar um massagista capilar! O seu cabeleireiro, o seu melhor amigo ou mesmo você conseguem estimular diariamente o seu couro cabeludo: massajando suavemente com a ponta dos seus dedos - antes, durante ou após a lavagem - em cabelo seco ou com um creme ou óleo, como o óleo de rícino ou um concentrado de vitamina B, essencial para o metabolismo do cabelo. Onde quer que seja no couro cabeludo, os benefícios da massagem beneficiam o crescimento do cabelo (1 cm/mês) e proporcionam um belo brilho. Massajar o topo do crânio promove o bem-estar, enquanto a massagem das zonas à volta das têmporas e a testa libertam a tensão.

  • beauty secrets,
  • cabelos