60 + : 4 Razões para usar cremes específicos para pele madura
Cuidados de Pele
60 + : 4 Razões para usar cremes específicos para pele madura

Vale a pena usar um creme específico a partir dos 60 anos, em vez de qualquer outra linha anti-idade? A resposta é sim, pois nesta fase a pele tem necessidades muito particulares e precisa de um cuidado adaptado, que junte conforto e tratamento. Conheça as vantagens. 1. REATIVAM A ENERGIA Depois da instabilidade na menopausa, a pele estabiliza e as características que definem uma pele madura surgem no rosto: falta acentuada de hidratação, perda de densidade, de firmeza, de luminosidade e do tom rosado que associamos a uma tez jovem e saudável. As linhas antienvelhecimento focam-se em objetivos individuais (rugas, firmeza, volume) mas isso agora não chega. Faz falta uma solução intensiva que estimule a atividade celular de forma global. 2. OFERECEM NUTRIÇÃO PROFUNDA O primeiro grande problema que surge com a menopausa é o desconforto da desidratação. Devido ao abrandamento das glândulas sebáceas, há uma redução dos lípidos da pele que fragiliza a sua barreira protetora natural. Até a pele que foi oleosa toda a vida sente necessidade de cremes nutritivos, com texturas ricas. Por esta razão, nas linhas específicas para pele madura, o conforto da textura é uma prioridade. 3. FORTALECEM E REDENSIFICAM As hormonas femininas que são desativadas na menopausa estão relacionadas com a densidade e a firmeza da derme. Ao desaparecerem, a estrutura da pele enfraquece e acusa a força da gravidade: o rosto perde definição, as rugas acentuam-se, os traços descaem e o rosto adquire uma expressão triste e cansada. Os cremes para pele madura contêm ativos fortificantes que atuam em profundidade. 4. DESPERTAM A LUMINOSIDADE Outro problema da menopausa é o abrandamento da microcirculação sanguínea na pele. Em consequência, o rosto perde o tom rosado e fresco da juventude. Os cremes para maiores de 60 anos contém ingredientes revitalizantes e ativadores da circulação que combatem esta palidez e recuperam as “boas cores”. E recorrem ainda a outro truque: pigmentos refletores da luz com reflexos rosados, que iluminam delicadamente a tez mesmo sem maquilhagem. 5. ATENUAM MANCHAS CASTANHAS Uma das maiores preocupações das mulheres a partir dos 60 anos são as manchas castanhas, sinal inequívoco de envelhecimento. A culpa é do sol, mas a pigmentação também se torna naturalmente mais irregular com a idade. A inclusão de ingredientes aclaradores e reguladores da pigmentação nas fórmulas dos cremes de dia e de noite permite corrigir e travar a formação destas manchas.

  • beauty secrets,
  • pele
OS BENEFÍCIOS DO ÓLEO DE RÍCINO: MITOS E VERDADES
Dream Long
OS BENEFÍCIOS DO ÓLEO DE RÍCINO: MITOS E VERDADES

O óleo de rícino tem a reputação "mágica" de estimular o crescimento de cabelo. Um pouco de história egípcia. Há mais de 3000 anos, as mulheres egípcias, cujo cabelo já era um importante atributo de beleza feminina, utilizavam o óleo de rícino como tratamento de beleza para o cabelo pelas suas propriedades fortificantes. A própria Cleópatra teceu-lhe fortes elogios, que atravessaram os séculos até aos dias de hoje: em massagens, máscaras ou como tratamento leave-in, um cabelo mais forte e mais brilhante que também parece crescer mais rápido. Muitos séculos mais tarde, o óleo de rícino continua a manter a reputação de ter um maravilhoso efeito sobre o cabelo e, hoje, sabemos porquê: não é magia, é apenas um pouco de ciência! Óleo de rícino, um óleo nutritivo mas não comestível na origem de um mito A planta do óleo de rícino é comum em África e na Índia. Os seus feijões contêm um óleo que, através de um processo de prensa a frio, permite a extração de um composto específico com propriedades excecionais. Rico em ácidos gordos, não pode ser ingerido devido aos seus níveis elevados de ácido ricinoleico, que é indigestível e, inclusivamente, irritante para o intestino. Por outro lado, é um excelente ingrediente cosmético: utilizado e bem conhecido por nutrir, fortalecer e hidratar as unhas, pestanas e sobrancelhas e estimular o crescimento do cabelo. Hidrata em profundidade o couro cabeludo e nutre as fibras capilares. Utilizado na massagem ao couro cabeludo, estimula a microcirculação e, ao mesmo tempo, otimiza o acesso dos nutrientes aos bolbos, promovendo o crescimento de cada folículo capilar. O óleo de rícino é extremamente rico em ácidos gordos e contém o famoso ómega, que desempenha um papel fundamental no metabolismo capilar. Ao fornecer os elementos essenciais para o crescimento, o cabelo ganha rapidamente força, brilho, e comprimento... Embora o crescimento do cabelo, com a simples aplicação de óleo de rícino no couro cabeludo, permanecer um mito, uma vez que ainda não foi encontrada qualquer prova cientifica até ao momento, depreende-se que seja provável que a estimulação associada à massagem seja a responsável pelo efeito observado. Não obstante, a L'Oréal conduziu recentemente uma nova pesquisa que demonstra que a verdade por trás do óleo de rícino é, de facto, diferente: o óleo de rícino tem propriedades interessantes que ajudam a selar o cabelo enfraquecido e as pontas espigadas, reduzindo a necessidade de visitar o seu cabeleireiro para realizar um corte durante várias semanas, resultando num ganho em comprimento amplamente apreciado por todas as mulheres!

  • beauty secrets,
  • cabelos